segunda-feira, 31 de Outubro de 2011

Memória (declamado por Carlos Drummond de Andrade)




Memória

Amar o perdido

deixa confundido

este coração.

Nada pode o olvido

contra o sem sentido

apelo do Não.

As coisas tangíveis

tornam-se insensíveis

à palma da mão.

Mas as coisas findas,
muito mais que lindas,

essas ficarão.

Carlos Drummond de Andrade

Imogen Heap - Lifeline




http://www.youtube.com/watch?v=luwBqChORgk

Imogen Heap - "Let Go"

Guillaume Canet - to be true

Imogen Heap - "Let Go"





http://www.youtube.com/watch?v=fDiCr7BNVY4&feature=player_embedded

Joshua Kadison - Wild Angel




Didn´t anybody ever tell you
that you´re mae of stars?
Didn´t anybody ever tell you
how wonderful you are?
Didn´t anybody ever look into your eyes
and see the whole world
spinnin´ around, spinnin´ around?

Strage days we´re living in.
Sometimes it seem the signal´s getting low
keep picking up waves of love
on your human radio.

Wild angel, don´t you think
it´s time now?
Wild angel, don´t you think
it´s time now?
Don´t you think its time now
to love yourself?

Didn´t anybody ever tell you
that you´re made of space?
Didn´t anybody eever tell you
that you´re filled with grace?
Didn´t anybody ever "sing" in your ear
the sweet sounding song of yourself,
song of youreself?

Strage days we´re living in.
Sometimes it seem the signal´s getting low
keep picking up waves of love
on your human radio.

Wild angel, don´t you think
it´s time now?
Wild angel, don´t you think
it´s time now?
Don´t you think its time now
to love yourself?

domingo, 30 de Outubro de 2011

My Fair Lady - Freddy And Eliza - Marble Halls

My Fair Lady Part 1




http://www.youtube.com/watch?v=GuAvHFXiFl4&feature=related

My fair lady - Audrey Hepburn




Audrey Hepburn , Rex Harrison & Wilfrid Hyde-White
1964

My Fair Lady - With A Little Bit Of Luck




With A Little Bit Of Luck from the 1964 movie My Fair Lady.

Audrey Hepburn: Exposición muestra su vida como madre, actriz y embajado...





Audrey Hepburn


http://tisousa.blogspot.com/2011/05/audrey-hepburn.html

W. A. Mozart Piano Concerto no. 23 KV 488 A-major Till Fellner Salzburg




W. A. Mozart Piano Concerto no. 23 KV 488 A-major Till Fellner Salzburg


http://www.youtube.com/watch?v=jTjcYIec9Tg&feature=player_embedded#!

sábado, 29 de Outubro de 2011

Crooked Fingers - Sleep All Summer




Judika Szerelek!"

http://www.youtube.com/watch?v=Ixm1YuuRNRg

SET HACKING - Gabriella Pession

SET HACKING - Gabriella Pession from Logentheater on Vimeo.



Quando estiveres velha e grisalhas,e cabeceares
De sono à beira da lareira,pega este livro,
e lentamente o lê,e sonha com a aparência suave
Que tinham outrora teus olhos,e suas sombras densas;

Muitos amaram teus momentos de alegre graça,
e tua beleza,com falso ou vero amor,
Mas um homem amou a alma peregrina em ti,
E a mágoas de teu rosto sempre a mudar.

William Butler Yeats

FUTURE PROOF

FUTURE PROOF from The DMCI on Vimeo.





http://player.vimeo.com/video/31066005?color=ffffff

St. Vincent - "Laughing With A Mouth Of Blood"

st. vincent, the party

Jane Eyre (2011) - The Call Within




http://www.youtube.com/watch?v=Ly8OYvDkaOo&feature=youtu.be

Agora Soundtrack The Truth Is Elliptical By Dario Marianelli








http://www.youtube.com/watch?v=g7sPC_daHW0&feature=related

Atonement Soundtrack - Elegy for Dunkirk




http://www.youtube.com/watch?v=eFJ7H7oHQOo&feature=player_embedded

Porque - Francisco Fanhais




"O imortal poema de Sophia de Mello Breyner Andersen na voz de Francisco Fanhais, início dos anos 70 do séc. XX."

http://www.youtube.com/watch?v=IT_31oLD8eg&feature=player_embedded

via
http://ardebruma.blogspot.com/

Lou Reed - Perfect Day



Perfect Day song by Lou Reed.

Perfect Day Lyrics

Just a perfect day
drink Sangria in the park
And then later
when it gets dark, we go home

Just a perfect day
feed animals in the zoo
Then later
a movie, too, and then home

Oh, it's such a perfect day
I'm glad I spend it with you
Oh, such a perfect day
You just keep me hanging on
You just keep me hanging on

Just a perfect day
problems all left alone
Weekenders on our own
it's such fun

Just a perfect day
you made me forget myself
I thought I was
someone else, someone good

Oh, it's such a perfect day
I'm glad I spent it with you
Oh, such a perfect day
You just keep me hanging on
You just keep me hanging on

You're going to reap just what you sow [x4]

Jorge Palma - Com Todo o Respeito




http://www.youtube.com/watch?v=C3Mye0jfNws&feature=related

sexta-feira, 28 de Outubro de 2011

Intervenção Deputado Pedro Nuno Santos

Jean-Luc Godard & Anna Karina in Cleo From 5 to 7




AGNÈS VARDA: CLÉO DE 5 À 7 Em português chamou-se Duas Horas na Vida de Uma Mulher. Varda filmou-o em Paris no início dos anos 1960 e este é o mais Nouvelle Vague dos seus filmes. Passa este sábado, 29, às 19h00.

Bicho do Mato - A Ratoeira



A Ratoeira
---------------
Sujam as mãos na constituição com a tinta fresca
Discutem toda a situação numa mansão burlesca
Gastam recursos a dar discursos e emprego verbal
Dizem que é normal
Ter um mar sem sal

Projectam-se no céu e dizem-nos que foi milagre
Vão tentando adoçar-nos a boca com vinagre
E o tempo é passatempo de antena sem sinal
A crise é viral
Dizem que é normal

Que o dia de amanhã já nasça hipotecado
Por isso tem cuidado
A ratoeira espera-te no fim

O produto interno é bruto mas a mim não chega nada
Só me enchem os ouvidos com estatística burlada
Quando o estado do país se vê no móvel às moscas
Lâmpadas já foscas
Porcas já sem roscas

E eu confio o futuro a um ou outro desconhecido
Que só diz o que seria se fosse o que tinha sido
E o dia cai com a minha bolsa em fraca cotação
Empresa sem acção
Ou cláusula de rescisão

E o dia de amanhã já nasce hipotecado
Por isso tem cuidado
A ratoeira espera-te no fim
----------------------------------------------------

Bicho do Mato:

Tó-Zé Bexiga (Uxu Kalhus, NMB), Zé Peps (Pucarinho, ZAP), Daniel Catarino (Uaninauei, O Rijo) e Bruno Cintra (Agora Teatro) misturam o tradicional com o inconveniente, o popular com o extravagante, temperado na panela do caos com espargos e instrumentos de fácil transporte que podem soar acústico ou eléctrico, no palco ou na sala de estar.

http://www.facebook.com/bichomato

Daniel Catarino - voz, guitarra, bombo
Tó-Zé Bexiga - viola campaniça, escovas
Zé Peps - guitarra
Bruno Cintra - adufe, sarracho

t model ford - she asked me... ( soundtrack - big bad love )




http://www.youtube.com/watch?v=bQlJotqQOHU&feature=related

robert belfour - my baby's gone (soundtrack - big bad love )

Tom Waits - Pay Me




http://www.youtube.com/watch?v=8gKnsMY3KAg&feature=related

Florence + The Machine - Shake It Out (Benny Benassi Remix)




via
http://www.thecoolhunter.com.au/

quinta-feira, 27 de Outubro de 2011

Sintomas de AVC

Stroke and Heart Attack Symptoms You Never Saw Coming



http://www.newsmax.com/Newsfront/stroke-heart-attack-symptoms/2011/09/20/id/411709





http://w3.newsmax.com/newsletters/crandall/video2.cfm?PROMO_CODE=D141-1





http://www.okayplayer.com/news/amon-tobin-isam-live-at-brooklyn-masonic-temple.html

If You Dont Know Me By Now Harold Melvin The Blue Notes



http://www.youtube.com/watch?v=S5RtHZpnGko

The Doors - Light My Fire




http://www.youtube.com/watch?v=flOvM4Z355A&feature=player_embedded

The Doors - Riders on the storm

Stay Here With Me - Composed and Played by Luke (Photos by Pianopod)



This is composed and played by the Irish pianist Luke. Check out his Youtube channel - http://www.youtube.com/Microrator

The slide show is a collection of images I took in Portugal on Ilha Deserta in the Ria Formosa. http://www.youtube.com/user/Pianopod



http://tumblr.pianopod.net/

Solitude. Composed and Played by David Nevue. (Photos by Pianopod)





http://www.youtube.com/watch?v=eFAM1N4wp40&feature=youtu.be&a

via

http://tumblr.pianopod.net/

http://twitter.com/#!/Pianopod

Ludovico Einaudi plays Divenire [LIVE] Photography by Pianopod







http://www.youtube.com/watch?v=TVC0D6NZfxE&feature=player_embedded


http://www.youtube.com/view_play_list?p=6AFCEFC3577EBEBB

Ludovico Einaudi plays Divenire [LIVE] Photography by Pianopod




http://www.youtube.com/watch?v=TVC0D6NZfxE&feature=player_embedded

Erik Satie - Gymnopédie No.2



Alfred Eric Leslie Satie (Honfleur, 17 May 1866 -- Paris, 1 July 1925) was a French composer and pianist. Starting with his first composition in 1884, he signed his name as Erik Satie.

Satie was introduced as a "gymnopedist" in 1887, shortly before writing his most famous compositions, the Gymnopédies. Later, he also referred to himself as a "phonometrograph" or "phonometrician" (meaning "someone who measures (and writes down) sounds") preferring this designation to that of "musician," after having been called "a clumsy but subtle technician" in a book on contemporary French composers published in 1911.

In addition to his body of music, Satie also left a remarkable set of writings, having contributed work for a range of publications, from the dadaist 391 to the American Vanity Fair. Although in later life he prided himself on always publishing his work under his own name, in the late nineteenth century he appears to have used pseudonyms such as Virginie Lebeau and François de Paule in some of his published writings.

Satie was a colourful figure in the early 20th century Parisian avant-garde. He was a precursor to later artistic movements such as minimalism, repetitive music and the Theatre of the Absurd.
The Gymnopédies, published in Paris starting in 1888, are three piano compositions written by French composer and pianist, Erik Satie.

These short, atmospheric pieces are written in 3/4 time, with each sharing a common theme and structure. Collectively, the Gymnopedies are regarded as the precursors to modern ambient music[citation needed] - gentle yet somewhat eccentric pieces which, when composed, defied the classical tradition. For instance, the first few bars feature a disjunct chordal theme in the bass - first, a G-major 7th in the bass, and then a B-minor chord, also in the lower register. Then comes the one-note theme in D major. Although the collection of chords at first seems too complex to be harmonious, the melody soon imbues the work with a soothing atmospheric quality.

Satie himself used the term "furniture music" to refer to some of his pieces, implying they could be used as mood-setting background music. However, Satie used this term to refer to only some of his later, 20th century compositions, without specific reference to the Gymnopédies as background music. From the second half of the 20th century on, the Gymnopédies were often erroneously described as part of Satie's body of furniture music, perhaps due to John Cage's interpretation of them.
[from Wikipedia]

Artwork:Leonora Carrington
Played by:Daniel Varsano, Philippe Entremont

Erik Satie - Gymnopédie No.1





http://theyshootmusic.at/posts/Laura_Gibson

Nós e os outros - Rodrigo Leão






noiserv - "Palco do Tempo"

La guerra relámpago - WW2 Blitzkrieg





Uma completa visão da Segunda Guerra Mundial através de 7 vídeos (en construção)
https://www.youtube.com/watch?v=3ZqQflgPL60&feature=player_embedded#!

João Gilberto e Caetano Veloso - O Pato





http://www.youtube.com/watch?v=aTXp38zCmsg&feature=player_embedded#!

Desperate 1950's Housewives




http://www.youtube.com/watch?v=7q73pdj8Rjs&feature=player_embedded#!

quarta-feira, 26 de Outubro de 2011

The Decemberists - The King Is Dead (Full Album)





http://www.youtube.com/watch?v=5AZzUlyZ8gs&feature=related

Ryan Adams - Lucky Now (2011-08-30 - BBC Radio 2)

Ryan Adams - Ashes & Fire (Ashes & Fire)

Ambas as mãos Sobre Corpo

Maria Teresa Horta - Ambas as mãos Sobre Corpo (Rtf)


http://pt.scribd.com/doc/7021416/Maria-Teresa-Horta-Ambas-as-maos-Sobre-Corpo-Rtf

À Conversa com ... M. T. Horta

o livro




Jornalista, poeta, ficcionista e figura incontornável da cultura portuguesa, Maria Teresa Horta manteve durante toda a sua vida uma atitude ousada e firme, em todas as frentes. Lutadora incansável em prol dos direitos femininos, a par de um intenso combate pelas mulheres portuguesas, construiu, ainda, uma obra vasta no campo da poesia (19 livros) e da ficção (6 romances e diversos contos) portuguesas, tendo marcado decisivamente as gerações de 60 e 70 em Portugal. Figura polémica, chocou a sua geração e a opinião pública com a sua poesia erótica e ousada, tendo sido uma das três autoras, juntamente com Maria Isabel Barreno e Maria Velho Velho da Costa, das “Novas Cartas Portuguesas” (1971).
Da sua vida e obra nos fala Maria Teresa Horta, com a serenidade e o olhar lúcido e frontal de sempre, desmascarando a hipocrisia e os preconceitos que marcaram a sua época, revelando o seu carácter indomável e a imensa força que se esconde nesta mulher de aspecto frágil, com olhar de espanto sobre a vida.

Maria João Cantinho – Estreou-se na poesia em 1960, com “Espelho Inicial”. Como revê essa década de 60, tão importante na poesia portuguesa?

Maria Teresa Horta - Para mim foi uma década de permanente descoberta. De deslumbramentos, de criatividade intensa: verso após verso, poema em poema, trepando, mergulhando e logo subindo, buscando em meu redor e dentro de mim mesma. Querendo experimentar, tacteando à volta, caldeando com a dúvida o que já sabia ou intuía, misturando o susto com a alegria e com a viagem interior. Foi, também, uma época de encontro com outros escritores, outros poetas, escuta de diversas vozes, de novas propostas poéticas. E igualmente com a pintura: misturando as cores e os versos; distribuindo a púrpura, o rubro, pelo interior das poesias, assim como o azul-cobalto e o carmim no corpo das palavras. Um corpo táctil, erógeno, de prazeres intensos. Desse modo testava os sabores, os odores, na temperatura vertiginosa da escrita, fazendo-a explodir de desejo. Desejo ostensivamente feminino, vindo das suas raízes e da sua estrutura interna.

M.J.C. – Lembro Octávio Paz, dizendo na sua obra “O Arco e a Lira” que a poesia era também um produto social, jamais poderia ser dissociada da sua época e do seu tempo, sobretudo da história. Em que medida se entrosaram, na sua obra esses elementos?

M.T.H. – Claro que a poesia é, também, um produto social, nunca dissociada do seu tempo e até do seu meio, e na poesia que tenho vindo a fazer esse facto parece-me ser por demais evidente. Apesar de isso ter acontecido (e continuar a acontecer), sobretudo pelo seu próprio avesso. Ou seja, tendo parte da minha poesia sido escrita (período entre 1960, início de 1970) sob um regime fascista, que proibia tudo, começando pela liberdade e pela ousadia, em vez de ela se deixar tolher, amedrontar, acontecia que, naturalmente, explodia, ousava, reclamava-ardendo. Desafiava. Desobedecia. “Minha Senhora de Mim” é o exemplo mais cabal dessa atitude, que acabou por desencadear da parte do governo, dos censores, da PIDE (e não só... também da burguesia bem pensante da altura), drásticas atitudes repressivas em relação a mim e a tudo o que escrevia, enquanto escritora, poetisa, e enquanto jornalista. O que, de imediato, desencadeou da minha parte, em vez de um recuo, uma tentativa de ir ainda mais longe, quer a nível temático, quer a nível da linguagem, que na altura nenhuma mulher usava. Posso dar como exemplo disso “Educação Sentimental”, escrito já depois de proibição de “Minha Senhora de Mim”, durante o processo e julgamento de “Novas Cartas Portuguesas”.

M.J.C. – Como foi possível a publicação de “Minha Senhora de Mim” ou de “Novas Cartas Portuguesas” naquela época?

M.T.H. – Só foi possível porque não havia censura prévia, no que dizia respeito à edição de livros. A proibição vinha depois... aliás, como aconteceu. Mas aconteceu mais: o Moreira Baptista, então secretário de Estado da Informação e Turismo, chamou a Snu Abecassis, dona da Dom Quixote, onde “Minha Senhora de Mim” tinha saído, e disse-lhe que se voltasse a publicar outra obra minha mandaria fechar a editora. No que diz respeito a “Novas Cartas Portuguesas” foi diferente. Quando eu, a Maria Isabel Barreno e a Maria Velho da Costa demos o livro por terminado, tínhamos já três ou quatro editores que se propunham editá-lo, mas ao lerem o original tiveram medo e deram o dito por não dito. Apenas restou a proposta da Natália Correia, então directora literária de “Estúdios Cor”. E acabou por ser ela que, corajosamente, fez ponto de honra em publicá-lo.

M.J.C. – Que consequências lhe trouxe a ousadia de publicar um livro erótico feminino, num país em que o erotismo constituía um território do homem?

M.T.H. – Para além da proibição da PIDE e das ameaças políticas, criou-se uma efervescente celeuma em torno de “Minha Senhora de Mim”. As ameaças e os telefonemas insultuosos para minha casa sucederam-se, a ponto de ter de mandar tirar o meu nome da lista telefónica. Houve, também, bilhetinhos, convites insidiosos para sair à noite, para jantar, etc., enviados por homens que não conhecia. Enfim, gerou-se todo um clima de mal-estar à minha volta, que, insidiosamente, mais parecia pretender atemorizar-me, castigar-me... Pior do que isso: envergonhar-me! Afinal, como me chegaram a dizer, “uma mulher de respeito não escrevia daquele modo, não dizia aquelas coisas...”

M.J.C. – Qual o impacto que teve, sobre a sociedade portuguesa e sobre as mulheres portuguesas, em particular, o vosso julgamento, aquando da publicação das “Novas Cartas Portuguesas”?

M.T.H. – Bem, digamos que teve pouquíssimo impacto, a não ser a nível dos escritores, pois na altura havia censura prévia que, implacável, pesava sobre os jornais e jornalistas. Isto quer dizer que qualquer notícia, artigo, reportagem, que dissesse respeito a “Novas Cartas Portuguesas”, eram cortados. A esmagadora maioria das pessoas nem sabia do nosso julgamento. Ao contrário do que acontecia no estrangeiro, onde se falava muito do caso, se faziam manifestações, marchas, acontecendo mesmo a ocupação da embaixada portuguesa na Holanda pelas feministas holandesas.


Ler o resto da entrevista aqui:

http://www.storm-magazine.com/novodb/arqmais.php?id=261&sec=&secn

Calçada da Glória

Tristão da Silva

Emma (ep. 1) (4/6)

Emma (ep. 1) (5/6)

Emma (ep. 1) (6/6)

Part 1 - Emma by Jane Austen (Vol 1: Chs 01-09)




http://www.youtube.com/watch?v=aSwti0GY-w4&feature=relmfu




Emma de Jane Austen

Autor: Jane Austen
Data de publicação: 1816
Gênero: Ficção
País: Inglaterra

Emma, ​​de Jane Austen, é um romance sobre os perigos de um romance mal interpretado. O romance foi publicado pela primeira vez em dezembro de 1815. Como em seus romances outro, Austen explora as preocupações e dificuldades das mulheres vivendo em genteel Georgian-Regency Inglaterra, ela também cria uma "comédia de costumes" viva entre seus personagens.
Antes que ela começou o romance, Austen escreveu: "Eu vou tomar uma heroína que ninguém além de mim será muito parecido. " Na primeira frase, ela introduz o personagem-título como "Emma Woodhouse, bonita, inteligente e rico." Emma, ​​no entanto, também é bastante mimada, ela muito superestima suas habilidades matchmaking própria, e ela é cega para os perigos de se intrometer na vida de outras pessoas e é frequentemente confundida sobre os significados das ações dos outros.

Brian McKnight - Back At One

s

http://sleeplessinsamoa.blogspot.com/

Do envelhecer...

"Things come to those who are patient"




via
http://twitter.com/#!/search?q=%23growingold

terça-feira, 25 de Outubro de 2011

Taste Portugal | 2011 English






http://www.taste-portugal.com/






http://www.enciclopedia.com.pt/articles.php?article_id=1760

HD: Grizzly Bears Catching Salmon - Nature's Great Events: The Great Sal...




Every year grizzly bear families in North America depend for their survival on a spectacular natural event: the return of hundreds of millions of salmon from the Pacific Ocean to the mountain streams where they were born. In this clip, dozens of hungry bears eagerly await the salmon that make it up river

Blue Train




http://antropocoiso.blogspot.com/

Irina Tiviane sings Abigaille in "Nabucco"









http://www.musikki.com/musikki.php?search= Irina Tiviane

Charlotte Gainsbourg "Just Like a Woman"

Charlotte Gainsbourg "Just Like a Woman" (Bob Dylan cover) LIVE in Brooklyn 1/20/10 from 'SUP Magazine on Vimeo.




Charlotte Gainsbourg "Just Like a Woman"

Charlotte Gainsbourgcanta Bob Dylan

Amaranthe - Hunger - 2011 (Audio+Lyrics+Download)




Hear me scream
It's unreal, what's inside of me
Broken bones and the code that hunts me
Welcome home, I'm alone, is it gone
What I'm feeling is surreal
(Verse - Boy)
World in flames
It's a chase, I'm a cornered man
It's a pulse in my veins, no delays
It's a rain, it's a chamber of dust
As I'm viewing the plains
(Verse - Scream)
Of the sorrow I lust
I have no faith in our reality
No mirror can correct my destiny
One thing to rule what I've become
Take it or leave it 'cause this is my love song
(Pre-chorus - Scream)
A drop of blood
A flood of anger for old times
Of the sorrow I lust
(Chorus)
Hunger - Save me
One world depending on me
I have the force in me
The truth will be revealed
Higher - Faster
I am the fuel to set you free
I am your destiny
(Verse - Girl)
Inhumane
I'm ashamed in the pouring rain
Disinform, set the norm
You're to blame
Spin the wheel, break the seal to conceal
That I'm finding it so real
(Verse - Boy)
I'm ashamed, not the way that I want to be
Have to bare my own soul, unveil me
To discern it's my turn, have to learn
I have to face it
(Verse - Scream)
That the world will burn
This message written for us on the wall
No need to correct the way I walk
One world, one lust and our dream
Ruined in pieces, a human machine
(Pre-chorus - scream)
A drop of blood
A flood of anger for old times
Of the Sorrow I lust
(Chorus)
Hunger - Save me
One world depending on me
I have the force in me
The truth will be revealed
Higher - Faster
I am the fuel to set you free
I am your destiny
(Interlude)
One raging anger
Grows inside
From the sorrow I lust
[Solo]
(Chorus)
Hunger - Save me
One world depending on me
I have the force in me
The truth will be revealed
Higher - Faster
I am the fuel to set you free
I am your destiny

Amaranthe - Amaranthine




http://www.youtube.com/watch?v=D8lV1To-_fU&feature=related

Dark Tranquility - Senses Tied




http://www.youtube.com/watch?v=Pwus3_LBvTQ&feature=related

Escola Austríaca

http://en.wikipedia.org/wiki/Austrian_School


NOTAS

https://www.facebook.com/bluewater68?v=app_2347471856

Feels Like Rain (John Hiatt Cover) by Scott Freeman



John Hiatt

Down here the river meets the sea
And in the sticky heat I feel ya' open up to me
Love comes out of nowhere baby, just like a hurricane
And it feels like rain
And it feels like rain

Lying underneath the stars right next to you
Wondering who you are
And how do you do? (How do you do baby?)
When the clouds roll in across the moon
And the wind howls out your name
and it feels like rain
And it feels like rain

We aint never gonna make that bridge tonight baby
Across lake ponchartrain
and it feels like rain
And it feels like rain

Batten down the hatches baby
leave your heart out on your sleeve
It looks like were in for stormy weather,
that aint no cause for us to leave
Just lay here in my arms
and let it wash away the pain
Feels like rain
And it feels like rain

Baby can you feel it
feel it, feel it,
feel it, feel it
baby can you feel it
can you feel it
gonna let your love rain all over me
feels like rain

John Hiatt - Have a Little Faith in Me



When the road gets dark
And you can no longer see
Just let my love throw a spark
And have a little faith in me
And when the tears you cry
Are all you can believe
Just give these loving arms a try, baby
And have a little faith in me (5x)

And when your secret heart
Cannot speak so easily
Come here darling, from a whisper start
To have a little faith in me
And when your backs against the wall
Just turn around and you, and you, you will see
I will catch you, I will catch your fall, baby
Just have a little faith in me
And have a little faith in me (4x)

Well, Ive been loving you for such a long time, girl
Expecting nothing in return
Just for you to have a little faith in me
You see time, time is our friend
Cause for us, there is no end
And all you gotta do, is have a little faith in me
I said, I will hold you up, I will hold you up
And your love gives me strength enough, so
Have a little faith in me
I said hey, all you gotta do for me, girl
Is have a little bit of faith in me

segunda-feira, 24 de Outubro de 2011

Fábio Barbosa: Reforma de Valores Como é importante o que você faz no dia-a-dia









http://www.educacaosec21.org.br/

http://www.tedxsaopaulo.com.br/fabio-barbosa/

http://www.educacaosec21.org.br/2011/fabio-barbosa-reforma-de-valores/

Ser Mulher

IMG_1269.JPG








Leituras
http://jrentesdecarvalho.com/port/index.htm

Cher Lloyd







Som

http://music.uk.msn.com/blog/editor.aspx

Jornal O Regional


Jornal O Regional

http://www.newseum.org/todaysfrontpages/flash/






Som

Música
http://music.uk.msn.com/blog/editor.aspx

Jornal O Regional

Todays Front Pages
http://www.newseum.org/todaysfrontpages/flash/

Jornal O Regional

CNN interviews Stephen M R Covey about Speed of Trust



"SpeedofTrust.com Stephen M R Covey describes the impact of The Speed of Trust on management trust and strategic imperatives like, innovation, collaboration, sales performance, project execution, revenue growth, profit, employee engagement, reducing turnover, merger integration, customer loyalty, and even reduction of force. No matter what your present focus or strategy it's success depends on relationships of high trust. While high trust cannot save a poor strategy, low trust will surely derail even the best strategy"

visto em
http://laurindaalves.blogs.sapo.pt/



Well I don't go to church on Sunday
Don't get on my knees to pray
Don't memorize the books of the Bible
I got my own special way
I know Jesus loves me
Maybe just a little bit more
I fall down on my knees every Sunday
At Zerelda Lee's candy store

Well it's got to be a chocolate Jesus
Make me feel good inside
Got to be a chocolate Jesus
Keep me satisfied

Well I don't want no Anna Zabba
Don't want no Almond Joy
There ain't nothing better
Suitable for this boy
Well it's the only thing
That can pick me up
Better than a cup of gold
See only a chocolate Jesus
Can satisfy my soul

When the weather gets rough
And it's whiskey in the shade
It's best to wrap your savior
Up in cellophane
He flows like the big muddy
But that's ok
Pour him over ice cream
For a nice parfait

Well it's got to be a chocolate Jesus
Good enough for me
Got to be a chocolate Jesus
Good enough for me

Well it's got to be a chocolate Jesus
Make me feel so good inside
Got to be a chocolate Jesus
Keep me satisfied

TERCEIRA IDADE BEM SUCEDIDA

Envelhecer%20com%20Bem-estar1.jpg


TERCEIRA IDADE BEM SUCEDIDA
(ou como otimizar o envelhecimento)





"Aquela visão cinzentona e deprimente que ainda vigora no Ocidente sobre o envelhecimento está, felizmente, a perder força. O envelhecimento é, nem mais, do que evolução e mudança, com maior ou menor sucesso. O envelhecimento é também algo que apresenta diferentes etapas sendo um processo gardual. Felizmente que um número crescente de... cientistas tem vindo a debruçar-se sobre o envelhecimento e desse trabalho estão a chegar-nos boas notícias.

Com o aumento do tempo de vida a 3ª idade é agora uma fase activa da vida e passou a considerar-se uma 4ª idade a partir dos 70 ou 75 anos de idade.

As pessoas com mais de 50 anos têm cada vez mais uma visão otimista de vida. Num estudo recente, 89% dos adultos associaram a meia-idade e os anos seguintes a aspetos positivos contrariando assim a ideia de um período de "crise".

Vários estudos confirmam também que a maior parte das pessoas envelhece de forma satisfatória ao longo da vida, mesmo nas fases mais avançadas.

O período designado como "3ª idade" ou dos "jovens idosos" (dos 55 aos 75 anos) é um período activo: aumenta a expectativa de vida; a boa forma física e mental é uma realidade ao alcance de muitas pessoas; existem reservas notáveis de habilidades cognitivas-emocionais; mais e mais pessoas envelhecem com sucesso (geral); há níveis elevados de bem-estar pessoal e emocional e verifica-se a adopção de estratégias eficazes de gestão de ganhos e perdas (relativas ao gradual envelhecimento).

As pessoas da actual "3ª idade" apresentam, em geral, uma elevada plasticidade e, por isso, mostram uma capacidade admirável para regular o impacto das perdas que também podem ocorrer (por exemplo, a nível físico).

O envelhecimento mental varia muito de pessoa para pessoa. Melhor saúde, mais informação, mais cultura e mais atividades físicas permitem que as pessoas com mais de 50 anos de idade possam desenvolver as suas capacidade cognitivas de forma quase ilimitada."

Nelson S. Lima

domingo, 23 de Outubro de 2011

The Dark Side of Oz

The Dark Side of Oz from Bryan Pugh on Vimeo.






http://vimeo.com/333721

The Fountain (Jason Mythos Extended Trance Version)




http://www.youtube.com/watch?v=ssay021JhUA

The King of Legoland from dunun on Vimeo.

Peter Gabriel & Kate Bush -Don't Give Up




Don't give up

In this proud land we grew up strong
We were wanted all along
I was taught to fight, taught to win
I never thought I could fail

No fight left or so it seems
I am a man whose dreams have all deserted
Ive changed my face, Ive changed my name
But no one wants you when you lose

Dont give up
cos you have friends
Dont give up
Youre not beaten yet
Dont give up
I know you can make it good

Though I saw it all around
Never thought I could be affected
Thought that wed be the last to go
It is so strange the way things turn

Drove the night toward my home
The place that I was born, on the lakeside
As daylight broke, I saw the earth
The trees had burned down to the ground

Dont give up
You still have us
Dont give up
We dont need much of anything
Dont give up
cause somewhere theres a place
Where we belong

Rest your head
You worry too much
Its going to be alright
When times get rough
You can fall back on us
Dont give up
Please dont give up

got to walk out of here
I cant take anymore
Going to stand on that bridge
Keep my eyes down below
Whatever may come
And whatever may go
That rivers flowing
That rivers flowing

Moved on to another town
Tried hard to settle down
For every job, so many men
So many men no-one needs

Dont give up
cause you have friends
Dont give up
Youre not the only one
Dont give up
No reason to be ashamed
Dont give up
You still have us
Dont give up now
Were proud of who you are
Dont give up
You know its never been easy
Dont give up
cause I believe theres the a place
Theres a place where we belong

sábado, 22 de Outubro de 2011

Evolution (feat. Fontella Bass) - Cinematic Orchestra




http://www.youtube.com/watch?v=NS5JxK6jMuY&feature=player_embedded#!

slow f

http://www.economist.com/node/21533430?fsrc=scn/fb/wl/ar/slowfinance


Análise aos diversos comentários sobre as declarações de Cavaco Silva em relação ao OE 2012.

Vale das Areias na RTPN




http://www.youtube.com/watch?v=c2wpRl59LZ0&feature=player_embedded#!

Verdi - Traviata

Historia de Uma Chinela




http://www.youtube.com/watch?v=3nk1uUUaHtE&feature=player_embedded

Doris Day - Autumn Leaves - 1956

sexta-feira, 21 de Outubro de 2011

Kendrick Lamar - Cloud 10 (prod. Nosaj Thing)




http://www.youtube.com/watch?v=hC7tthGdCTE

Denver Post Photo

http://blogs.denverpost.com/





http://blogs.denverpost.com/captured/2011/10/21/pictures-of-the-week-october-21-2011/5050/

Au hasard Balthazar (1966)

[ L ] Au Hasard Balthasar - 1966 - Robert Bresson.mov

scene from "Au Hasard Balthazar" (1966 France) directed by Robert Bresson.

Au Hasard Balthasar (1966), a scene

Au hasard Balthazar - opening sequence

Pearl Jam - Black



From Pearl Jam's debut album Ten, released 1991.

Basic Lyrics

Hey... oooh...
Sheets of empty canvas, untouched sheets of clay
Were laid spread out before me as her body once did.
All five horizons revolved around her soul
As the earth to the sun
Now the air I tasted and breathed has taken a turn

Ooh, and all I taught her was everything
Ooh, I know she gave me all that she wore
And now my bitter hands chafe beneath the clouds
Of what was everything.
Oh, the pictures have all been washed in black, tattooed everything...

I take a walk outside
I'm surrounded by some kids at play
I can feel their laughter, so why do I sear?
Oh, and twisted thoughts that spin round my head
I'm spinning, oh, I'm spinning
How quick the sun can drop away

And now my bitter hands cradle broken glass
Of what was everything?
All the pictures have all been washed in black, tattooed everything...

All the love gone bad turned my world to black
Tattooed all I see, all that I am, all I'll be... yeah...
Uh huh... uh huh... ooh...

I know someday you'll have a beautiful life,
I know you'll be a sun in somebody else's sky, but why
Why, why can't it be, can't it be mine

Aah... uuh..

Too doo doo too, too doo doo

The Durutti Column "Brother"




http://instalyrics.com/artists/26253-the-durutti-column/lyrics

The Durutti Column - Requiem for My Mother

Sara e Tristana.wmv

quinta-feira, 20 de Outubro de 2011

Gold Diggers of 1933 - "We're in the Money"



The famous opening song from the film Gold Diggers of 1933, performed by Ginger Rogers. All musical scenes in the film, including this one, were choreographed by the legendary Busby Berkeley.

Gold Diggers of 1933


http://krugman.blogs.nytimes.com/2011/08/06/stagecoach-economics/

Sete Fadas me fadaram - Zeca Afonso





Sete fadas me fadaram
Sete irmãos m'arrenegaram
Sete vacas me morreram
Outras sete me mataram

Sete setes desvendei
Sete laranjinhas de oiro
Sete piados de agoiro
Sete coisas que eu cá sei

Sete cabras mancas
Sete bruxas velhas
Seter salamandras
Sete cega-regas

Sete foles
Sete feridas
Sete espadas
Sete dores
Sete mortes
Sete vidas
Sete amores
Sete estrelas me ocultaram
Sete luas, sete sóis
Sete sonhos me negaram
Aqui d'el rei é demais



http://letras.kboing.com.br/#!/jose-afonso/sete-fadas-me-fadaram/

Menina dos Olhos Tristes



Menina Dos Olhos Tristes
José Afonso

Menina dos olhos tristes
o que tanto a faz chorar
o soldadinho não volta
do outro lado do mar

Vamos senhor pensativo
olhe o cachimbo a apagar
o soldadinho não volta
do outro lado do mar

Senhora de olhos cansados
porque a fatiga o tear
o soldadinho não volta
do outro lado do mar

Anda bem triste um amigo
uma carta o fez chorar
o soldadinho não volta
do outro lado do mar

A lua que é viajante
é que nos pode informar
o soldadinho já volta
está mesmo quase a chegar

Vem numa caixa de pinho
do outro lado do mar
desta vez o soldadinho
nunca mais se faz ao mar

José Afonso - "As Pombas"




As Pombas
José Afonso

Pombas brancas
Que voam altas
Riscando as sombras
Das nuvens largas
Lá vão
Pombas que não voltam

Trazem dentro
Das asas prendas
Nas bicos rosas
Nuvens desfeitas
No mar
Pombas do meu cantar

Canto apenas
Lembranças várias
Vindas das sendas
Que ninguém sabe
Onde vão
Pombas que não voltam

Zeca Afonso . A Ronda das Mafarricas



Do Álbum Cantigas do Maio

Wont Get Fooled Again




From The Kids Are Alright

A Rapariga Do Vestido Cor De Esperança

Teatro
Uma peça de teatro da autoria de José Amado, realizada por Fernando Frazão, em 1963, que retrata "A Rapariga do Vestido Cor-de-Esperança", o drama de um jovem apaixonado que procura a sua amada desesperadamente
.

http://ww1.rtp.pt/rtpmemoria/?t=A-RAPARIGA-DO-VESTIDO-COR-DE-ESPERANCA.rtp&article=1685&visual=2&layout=5&tm=8



http://wwwmuseuposmodernodeeducacao.blogspot.com/2010_10_01_archive.html

quarta-feira, 19 de Outubro de 2011

http://anjomitico.blogspot.com/

Descer do Mundo

Descer do Mundo ( Bajarse del mundo), documentário de Raul Fernandez sobre o regresso às aldeias abandonadas e modos de vida alternativos




Bajarse del mundo from SolRak50 on Vimeo.






http://carmoeatrindade.blogspot.com/



http://pt.wikipedia.org/wiki/Erich_Fromm



http://pensador.uol.com.br/erich_fromm_livro_ter_ou_ser/

http://pimentanegra.blogspot.com/




http://wishwishwish.net/2008/09/book-club-the-perks-of-being-a-wallflower/




http://marcomourao.blogspot.com/search?updated-max=2011-10-02T05%3A32%3A00-07%3A00&max-results=7

The Cinematic Orchestra - To build a home



The Cinematic Orchestra - To build a home
(lyrics)
There is a house built out of stone
Wooden floors, walls and window sills
Tables and chairs worn by all of the dust
This is a place where I don't feel alone
This is a place where I feel at home

And I built a home
For you
For me

Until it disappeared
From me
From you
And now, it's time to leave and turn to dust

Out in the garden where we planted the seeds
There is a tree as old as me
Branches were sewn by the color of green
Ground had arose and passed it's knees

By the cracks of the skin I climbed to the top
I climbed the tree to see the world
When the gusts came around to blow me down
I held on as tightly as you held onto me
I held on as tightly as you held onto me

And I built a home
For you
For me

Until it disappeared
From me
From you

And now, it's time to leave and turn to dust

The Smiths - Cemetry Gates (With Lyrics)




A dreaded sunny day
So I meet you at the cemetry gates
Keats and Yeats are on your side
A dreaded sunny day
So I meet you at the cemetry gates
Keats and Yeats are on your side
While Wilde is on mine

So we go inside and we gravely read the stones
All those people, all those lives
Where are they now ?
With loves, and hates
And passions just like mine
They were born
And then they lived
And then they died
It seems so unfair
I want to cry


You say : "'Ere thrice the sun done salutation to the dawn"
And you claim these words as your own
But I've read well, and I've heard them said
A hundred times (maybe less, maybe more)
If you must write prose/poems
The words you use should be your own
Don't plagiarise or take "on loan"
'Cause there's always someone, somewhere
With a big nose, who knows
And who trips you up and laughs
When you fall
Who'll trip you up and laugh
When you fall


You say : "'Ere long done do does did"
Words which could only be your own
And then produce the text
From whence was ripped
(Some dizzy whore, 1804)


A dreaded sunny day
So let's go where we're happy
And I meet you at the cemetry gates
Oh, Keats and Yeats are on your side
A dreaded sunny day
So let's go where we're wanted
And I meet you at the cemetry gates
Keats and Yeats are on your side
But you lose
'Cause weird lover Wilde is on mine

The Smiths - Asleep (Music Video)

terça-feira, 18 de Outubro de 2011

Poema à boca fechada (de José Saramago)



Poema à boca fechada


Não direi:
Que o silêncio me sufoca e amordaça.
Calado estou, calado ficarei,
Pois que a língua que falo é de outra raça.

Palavras consumidas se acumulam,
Se represam, cisterna de águas mortas,
Ácidas mágoas em limos transformadas,
Vaza de fundo em que há raízes tortas.

Não direi:
Que nem sequer o esforço de as dizer merecem,
Palavras que não digam quanto sei
Neste retiro em que me não conhecem.

Nem só lodos se arrastam, nem só lamas,
Nem só animais bóiam, mortos, medos,
Túrgidos frutos em cachos se entrelaçam
No negro poço de onde sobem dedos.

Só direi,
Crispadamente recolhido e mudo,
Que quem se cala quando me calei
Não poderá morrer sem dizer tudo.


(In OS POEMAS POSSÍVEIS, Editorial CAMINHO, Lisboa, 1981. 3ª edição)

Enya - May it be



May it be
An evening star
Shines down
Upon you

May it be
When darkness falls
Your heart
Will be true

You walk a lonely road
Oh how far you are from home

Mornië utúlië [Quenya: 'Darkness has come']
Believe and you
Will find your way

Mornië alantië [Quenya: 'Darkness has fallen']
A promise lives
Within you now

May it be
The shadow's call
Will fly away

May it be
A journey on
To light the day

When the night is overcome
You may rise
To find the sun

Mornië utúlië [Quenya: 'Darkness has come']
Believe and you
Will find your way

Mornië alantië [Quenya: 'Darkness has fallen']
A promise lives
Within you now

A promise lives
Within you now...

Hayley Westenra - May It Be

May It Be - Lord of the Rings/Enya Violin

Enya - May It Be

N****

http://memoriarecenteeantiga.blogspot.com/

equipe

http://divagandoemsaude.blogspot.com/2011/10/equipe-de-uma-pessoa-so.html#comments

Arte - Ben Heine

http://1.bp.blogspot.com/-UBWWrNQteGw/TnK7Irv2AEI/AAAAAAAAJEM/aORQC7Bo60o/s1600/A%2BCRIS%2B8.htm


via
http://mosaicos-cida.blogspot.com/2011/09/ben-heine-e-um-artista-bem-originale.html>

http://www.youtube.com/watch?v=p2vprBmky1o&feature=related

Festival backstage - Festival Chorus



Meet the Edinburgh Festival Chorus who have been performing at the Festival with the world's most celebrated orchestras and performers since 1965.

via
http://eif.co.uk/about-festival/festival-chorus/edinburgh-festival-chorus

segunda-feira, 17 de Outubro de 2011

Protesters Occupy LA

Entrevista SIC ao Ministro das Finanças " Vítor Gaspar " ( Parte 1 de 3 )



http://www.youtube.com/watch?v=hCr35ID4Q1M

Entrevista SIC ao Ministro das Finanças " Vítor Gaspar " ( Parte 2 de 3 )



http://www.youtube.com/watch?v=iwPxSqqplBk

Entrevista SIC ao Ministro das Finanças " Vítor Gaspar " ( Parte 3 de 3 )



Despesa: ministro destaca «esforço de contenção»
Ministro das Finanças confrontado com o PS com falta de medidas de cortes na despesa já em 2011.
O ministro das Finanças não apresentou cortes no lado da despesa já para 2011, mas antes referiu um «esforço de contenção» que permitirá poupar cerca de mil milhões de euros este ano.

«Para estarmos próximos dos limites orçamentais de 2011 é preciso o continuado esforço de contenção de despesa, que é difícil de quantificar, mas estou confortável em estimar em cerca de mil milhões de euros», afirmou aos deputados, na Comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública.

Considerando que «um corte de despesa desta grandeza não tem precedente histórico», Vítor Gaspar explicou que as medidas para este ano, em que se inclui a sobretaxa extraordinária e a antecipação da subida do IVA em alguns serviços, vão permitir «compensar já em 2011» o défice em cerca de 0,8 por cento do PIB.

«Com o esforço de contenção da despesa já este ano vamos aproximar-nos da execução orçamental, sendo que, na ausência desse esforço, o desvio seria necessariamente substancialmente maior», sublinhou, estimando o défice em de 6,8 por cento no final do ano, caso nada tivesse sido feito.

O ministro tinha sido confrontado pelos deputados do PS sobre os cortes do lado da despesa.

«Até agora, a única coisa que os portugueses reconhecem como medidas para 2011 são o corte equivalente a 50% do subsídio de Natal e a antecipação do IVA na electricidade e no gás», acusou a deputada Sónia Fertuzinhos, acusando o Executivo de «precipitação» ao anunciar o corte de mil milhões na despesa já em 2011.

Também o deputado socialista Pedro Marques referiu que não encontrou «cortes nas gorduras do Estado» já em 2011 no Documento de Estratégia Orçamental.

«Com este documento, desmentiu o primeiro-ministro, quando referia que os cortes na despesa seriam de montante aproximado ao corte de receita com o imposto extraordinário», apontou.
Fonte : Agência Financeira

http://www.youtube.com/watch?v=bP5XYvio9oE

sábado, 15 de Outubro de 2011

Coldplay, Rock In Rio 2011, show completo, fullShow 720P HD




http://www.youtube.com/watch?v=CPLnqEA9noc&feature=player_embedded

Bono- Summer Wine (Bono & The Corrs , From The Album VH1 Presents The Co...



http://www.youtube.com/watch?v=82V5IUYru3Q

Tiguana Bibles "Lost Words"

tv

http://lunatiktv.pt.am/

nedo

http://www.nedo.pt/item.aspx?id_item=126&id_rubrica=81&id_seccao=3

Pessoas





http://istrange.blogspot.com/

Mr. Bungle - Sweet Charity

Save me
The heavens have opened
The storm is over
So let's start the parade...

Raindrops
Will turn to laughter
Forever after
In your technicolor heartbeat
And they say
That it helps you forget everything...

Sweet charity

You drink your poison from a cup of gold
Your gift keeps on giving and giving

Perfect photographs
Of Everest days
And postcard nights
Tearing through the paper walls of time

With sunset eyes
Telethons, Grand Canyon hearts
You numb your mind
With gloves of white and turpentine
Even the bombs and scarecrows will sing!

Sweet charity

Save me
The heavens have opened
And I'm alone
Sweet charity

Save me
The heavens have opened
I'm coming home
Sweet charity

Save me
The asylums have opened
I'm coming home
Sweet charity

I'm home free...

http://www.youtube.com/watch?v=Cs6wGDbVAC0

PORTUGAL A PÉ (DISCOVERY CHANNEL)

Great Lake Swimmers - Unison Falling Into Harmony | HD

Travessia de Portugal a pé do jornalista Nuno Ferreira (2008-final de 2010). Crónicas na EPICUR, no site CAFÉ PORTUGAL e em


http://portugalape.blogspot.com/




http://noitesdepoesianosl.blogspot.com/




http://orgasmomental.blogspot.com/2011_06_01_archive.html


Não sei se o que vou dizer se coaduna com a definição forjada pela Wiki: costumo fazer um pequeno exercicio mental que consiste em sair da esfera microcosmica para passar para a esfera macrocosmica e inversamente, alternadamente. Como se eu... fosse, uns dias, uma singela arvore entre muitas outras formando uma floresta e, noutros dias, um atomo olhando para esse conjunto de arvores que formam uma floresta. Esse pequeno exercicio permite extrapolar e apreender como se vê e pensa noutras dimensões "paralelas" existentes e, por fim, ultrapassar os estados moral, alegorico para atingir o estado anagogico para "ler" a realidade de outra maneira, sem estarmos presos aos intrumentos rudimentares de que dispomos que nos enganam (os nossos sentidos humanos)

Brodeuse D'AmeublementMétiers



Sous Le Ciel De Paris : Brodeuse D'AmeublementMétiers - en voie de disparition? ARTE présente une collection de métiers d'autrefois, unique de par leur fabrication, richesse et beauté. Des portraits exceptionnels comme par ex. le plisseur, le bombeur de verre ou le doreur sur bois. Aujourd'hui : la brodeuse d'ameublement

via
http://videos.arte.tv/fr/videos/sous_le_ciel_de_paris_brodeuse_d_ameublement-4186132.html

Vanessa Paradis & -M- "La seine" (Extrait du film "Un monstre à Paris")

RTP - A ILHA DOS TESOUROS

"A Ilha dos tesouros, um pedaço de rádio, rodeado de música e memória por todos os lados. Canções que o tempo transformou em ouro e em memórias preciosas. A Ilha dos Tesouros – Um lugar para conhecer ou recordar. Sábados às 23:00 com Júlio Isidro."





RTP - A ILHA DOS TESOUROS

sexta-feira, 14 de Outubro de 2011

Contos

http://pt.scribd.com/doc/7357132/Os-Cem-Melhores-Contos-de-Humor-Da-Literatura-Universal

Jaqueline





http://aspirinsnow.tumblr.com/post/11401351420/rarihoma-q

Durutti Column "Never Know"




http://www.youtube.com/watch?v=c2GFGsFdURU&feature=player_embedded


http://joaoalegriapecurto.bandcamp.com/

Brian Wilson Talks About Good Vibrations




http://www.youtube.com/watch?v=cEFEG3oVG10&feature=player_embedded

Ella Fitzgerald - Dream a Little Dream of Me




Ella Fitzgerald - Dream a Little Dream of Me. July 16, 1963. With Count Basie.

Gen

Genealogia

http://www.geneall.net/P/per_page.php?id=1152608

Mr Long Legs RBC HD

tv spot music

http://www.tvspotmusic.com/

SpokenSong - The best (Acoustic Cover of Tina Turner with lyrics) & Spok...

O Castelo

Kafka, Franz - O Castelo




http://pt.scribd.com/doc/49284425/Kafka-Franz-O-Castelo

John Perkins on Globalization



"Quem controla o mundo? Porque é que a desigualdades aumentam cada vez mais? Porque é este sistema global falhou e continua a falhar aqui, ali e em todo o mundo? John Perkins analisa e denuncia as falácias da globalização neoliberal." APV

Música, Net & Nlogs

Musica Net Blogs V2(function() { var scribd = document.createElement("script"); scribd.type = "text/javascript"; scribd.async = true; scribd.src = "http://www.scribd.com/javascripts/embed_code/inject.js"; var s = document.getElementsByTagName




http://oleitoreolivro.tumblr.com/

The Artist Trailer 2011 HD





http://www.youtube.com/watch?v=O8K9AZcSQJE&feature=share

The Feynman Series (part 1) - Beauty






"Do mesmo autor de The Sagan Series chega agora o projecto The Feynman Series.

http://www.youtube.com/user/damewse
Neste primeiro filme Richard Feynman fala-nos do seu entendimento da beleza e das muitas dimensões em que esta existe e se manifesta na natureza. Vários episódios já disponíveis no YouTube, para relembrar aquele que é unanimemente reconhecido como um dos grandes génios do século XX."
https://www.facebook.com/thesaganseries



via
http://abarrigadeumarquitecto.blogspot.com/

quinta-feira, 13 de Outubro de 2011

Sea Within A Sea

José Afonso - Enquanto Há Força




Enquanto há força
No braço que vinga
Que venham ventos
Virar-nos as quilhas
Seremos muitos
Seremos alguém

Cantai rapazes
Dançai raparigas
E vós altivas
Cantai também

Levanta o braço
Faz dele uma barra
Que venha a brisa
Lavar-nos a cara
Seremos muitos
Seremos alguém

Cantai rapazes
Dançai raparigas
E vós altivas
Cantai também.

B Fachada - Só te falta seres mulher



Só Te Falta Seres Mulher
B Fachada
Composição: B Fachada

Se vamos juntos passear
O olhar faz parecer vão o que eu disser
Se te provoco com o que à noite te fiz, sorris

Já só te falta seres mulher.

Dou-te um abraço e vai-se o embaraço
E em pouco espaço vou dar-te aquilo que eu quiser.
E eu quero tanto
Qual não foi o meu espanto
Pelo teu encanto

Só te falta seres mulher.

Faça eu o que fizer não vou fazer de ti uma mulher.

Eu posso até querer entregar-me
Lançar-me a ver aquilo que vier
Mas eu gostar da tua masculinidade é maldade,
A merda é só não seres mulher.

É que tu tens o charme para poderes virar-me
Sabes conquistar-me
Dás-me a lascívia de talher como dizer-te então
Tens escrito "homem" no coração
E infelizmente querido
Eu, perdão, só me apaixono por mulher

Faça eu o que fizer não vou fazer de ti uma mulher.

B Fachada - O Ciúme e a Vergonha

B Fachada - Deus, Pátria e Família (Parte I / II)

B Fachada - Deus, Pátria e Família (Parte II / II)

Enrique Iglesias feat. Luís Represas - "Cuando Me Enamoro"

quarta-feira, 12 de Outubro de 2011

Fame Fatale

http://krystledossantos.bandcamp.com/releases

Krystle Dos Santos - "Remember" from Brett Rostrup on Vimeo.




via
http://mariealamode.blogspot.com/2011/10/my-friend-music-video-producer-and.html

Os Pobres na Estação Rodoviária

Os Pobres na Estação Rodoviária


Os pobres viajam, Na estação rodoviária
eles alteiam os pescoços como gansos para olhar
os letreiros dos ônibus. E seus olhares
são de quem teme perder alguma coisa:
a mala que guarda um rádio de pilha e um casaco
que tem a cor do frio num dia sem sonhos,
o sanduíche de mortadela no fundo da sacola,
e o sol de subúrbio e poeira além dos viadutos.
Entre o rumor dos alto-falantes e o arquejo dos ônibus
eles temem perder a própria viagem
escondida no névoa dos horários.
Os que dormitam nos bancos acordam assustados,
embora os pesadelos sejam um privilégio
dos que abastecem os ouvidos e o tédio dos psicanalistas
em consultórios assépticos como o algodão que
tapa o nariz dos mortos.
Nas filas os pobres assumem um ar grave
que une temor, impaciência e submissão.
Como os pobres são grotescos! E como os seus odores
nos incomodam mesmo à distância!
E não têm a noção das conveniências, não sabem
portar-se em público.
O dedo sujo de nicotina esfrega o olho irritado
que do sonho reteve apenas a remela.
Do seio caído e túrgido um filete de leite
escorre para a pequena boca habituada ao choro.
Na plataforma eles vão o vêm, saltam e seguram
malas e embrulhos,
fazem perguntas descabidos nos guichês, sussurram
palavras misteriosas
e contemplam os capas das revistas com o ar espantado
de quem não sabe o caminho do salão da vida.
Por que esse ir e vir? E essas roupas espalhafatosas,
esses amarelos de azeite de dendê que doem
na vista delicada
do viajante obrigado a suportar tantos cheiros incômodos,
e esses vermelhos contundentes de feira e mafuá?
Os pobres não sabem viajar nem sabem vestir-se.
Tampouco sabem morar: não têm noção do conforto
embora alguns deles possuam até televisão.
Na verdade os pobres não sabem nem morrer.
(Têm quase sempre uma morte feia e deselegante.)
E em qualquer lugar do mundo eles incomodam,
viajantes importunos que ocupam os nossos
lugares mesmo quando estamos sentados e eles viajam de pé.

Lêdo Ivo


http://armonte.wordpress.com/


http://jomcomyn.bandcamp.com/




http://www.youtube.com/watch?v=JMkFjYRWM4M



http://litam2leonardolima.wordpress.com/2010/12/19/report-2-biografia-e-obra-de-walt-walt-whitman/



http://armonte.wordpress.com/2011/04/page/4/

03 A History of Scotland - Bishop Makes King




http://www.youtube.com/watch?v=mh6qEemO-8c&feature=related
http://www.mc-nunes.blogspot.com/
http://twitter.com/#!/search/%23yegmusic?q=%23yegmusic

Jon Comyn on High Level Bridge Streetcar





via
http://oldugly.tumblr.com/post/9373790055/guys-video-cred-goes-to-the-edmonton-journal-for



http://jomcomyn.bandcamp.com/

Eunice Munõz diz Florbela Espanca



A actriz Eunice Munõz diz a poesia de Florbela Espanca
Poesias Ditas:

1. Amiga
2. De joelhos
3. Sem remédio
4. Fanatismo
5. O meu orgulho
6. Saudades
7. Ódio?
8. Versos de orgulho
9. Rústica
A um moribundo

via
http://walter-minhasviagens.blogspot.com/
v
http://miguel5032.blogspot.com/

terça-feira, 11 de Outubro de 2011

http://www.dailyfinance.com/2011/10/11/savings-experiment-how-to-cut-costs-on-cookware/

http://www.dailyfinance.com/

Michael Sandel: The lost art of democratic debate


















http://www.ted.com/talks/lang/eng/michael_sandel_the_lost_art_of_democratic_debate.html

http://www.youtube.com/watch?v=hPsUXhXgWmI&feature=related

Justice: What's The Right Thing To Do? Episode 01 "THE MORAL SIDE OF MUR...



PART ONE: THE MORAL SIDE OF MURDER
If you had to choose between (1) killing one person to save the lives of five others and (2) doing nothing even though you knew that five people would die right before your eyes if you did nothing—what would you do? What would be the right thing to do? Thats the hypothetical scenario Professor Michael Sandel uses to launch his course on moral reasoning. After the majority of students votes for killing the one person in order to save the lives of five others, Sandel presents three similar moral conundrums—each one artfully designed to make the decision more difficult. As students stand up to defend their conflicting choices, it becomes clear that the assumptions behind our moral reasoning are often contradictory, and the question of what is right and what is wrong is not always black and white.

PART TWO: THE CASE FOR CANNIBALISM

Sandel introduces the principles of utilitarian philosopher, Jeremy Bentham, with a famous nineteenth century legal case involving a shipwrecked crew of four. After nineteen days lost at sea, the captain decides to kill the weakest amongst them, the young cabin boy, so that the rest can feed on his blood and body to survive. The case sets up a classroom debate about the moral validity of utilitarianism—and its doctrine that the right thing to do is whatever produces "the greatest good for the greatest number."

http://www.youtube.com/watch?v=kBdfcR-8hEY&feature=related

The xx - Crystalised



http://www.youtube.com/watch?v=Pib8eYDSFEI&feature=player_embedded#!

segunda-feira, 10 de Outubro de 2011

crashsymbols

http://crashsymbols.bandcamp.com/album/dope-valley-fuck



http://ensembleeconomique.tumblr.com/archive

Debt Collapse




http://www.youtube.com/watch?v=tj2s6vzErqY


http://goldsilver.com/



http://wealthcycles.com/

Ensemble Economique - With You, At Brandy Creek

Ensemble Economique - Standing Still Facing Forward

Ensemble Economique - Standing Still Facing Forward




http://www.youtube.com/watch?v=2hA2_XsKmTU&feature=player_embedded

vanity url

facebook



http://ensembleeconomique.tumblr.com/



http://opostit.wordpress.com/




http://www.blogmidia8.com/p/biblioteca-virtual.html





http://www.blogmidia8.com/search/label/facebook





http://espectadorinteressado.blogspot.com/




http://opostit.wordpress.com/



http://www.blogmidia8.com/2011/03/10-dicas-de-seo-para-facebook.html




http://ensembleeconomique.tumblr.com/page/4




http://ensembleeconomique.tumblr.com/page/4

Selah Sue - Raggamuffin




via
http://pedroroloduarte.blogs.sapo.pt/

Herman José - A Moeda de Troika 1ºPrograma 1/4




Um espaço de debate mais informal para fechar a semana... com Rita Ferro, Herman José e Helena Sacadura Cabral



http://www.youtube.com/user/HermanJoseChannel

Orquestrada ao Vivo Antena3 - 75 Anos da Rádio

domingo, 9 de Outubro de 2011

L'Anima e il Volto (III / 3) | Women





http://www.youtube.com/watch?v=-4uHsU0IPZw&feature=related

http://www.youtube.com/user/minuicch

John Fahey - Desperate Man Blues



John Fahey tune set to a few of Edison's humorous short films

Feist - How Come You Never Go There




Metals:

01 The Bad in Each Other
02 Graveyard
03 Caught a Long Wind
04 How Come You Never Go There
05 A Commotion
06 Bittersweet Melodies
07 Anti-Pioneer
08 The Undiscovered First
09 Cicadas and Gulls
10 Woe Be
11 Comfort Me
12 Get It Wrong Get It Right

sábado, 8 de Outubro de 2011

Talking Heads - "Road To Nowhere"









http://www.musikki.com/musikki.php?search=Tomas Tranströmer

http://www.guardian.co.uk/commentisfree/2011/oct/09/tomas-transtromer-nobel-prize-literature?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter


http://www.guardian.co.uk/books/video/2011/oct/07/tomas-transtromer-nobel-prize-literature-video?INTCMP=ILCNETTXT3487

"07 My Body Is A Cage" Peter Gabriel

Estrella Morente

http://tuniver.se/artist/Estrella%20Morente/album/My%20Songs%20and%20a%20Poem/song/Track%209

Anna Calvi - The Devil

Festival PJM 2011 - Concerto de Gala




Grande Auditório da FCG
Programa:
Estreia mundial da encomenda da Antena 2 de Carlos CAIRES - «Instante»
Concerto do vencedor do Jovem Músico do Ano
Freitas BRANCO -- Vathek
Orq. Gulbenkian, Dir. de Pedro Neves

Billy Joel - Leningrad




http://www.youtube.com/watch?v=LgD_-dRZPgs&feature=related

Adele - Someone Like You

welder - be my light

Ignaz Moscheles - Piano Concerto No. 5 Op. 87 I. Allegro Moderato (1/3)

Ignaz Moscheles - Piano Concerto No. 5 Op. 87 I. Allegro Moderato (2/3)

Ignaz Moscheles - Piano Concerto No. 5 Op. 87 I. Allegro Moderato (2/3)
http://www.youtube.com/watch?v=A2nlv1xGopc&feature=results_video&playnext=1&list=PL84448221B30810E8

Ignaz Moscheles - Piano Concerto No. 5 Op. 87 III. Allegro Vivace (3/3)




http://www.youtube.com/watch?v=rp08KIoHxRo

Bon Iver Can't Make You Love Me



http://www.youtube.com/watch?v=KbtUs4EIQIE&feature=player_embedded#!

Timber Timbre - Too Old To Die Young

Joseph Haydn - Symphony No. 99



George Szell, conductor
Cleveland Orchestra
16 February 1966

00:00, 1st mov.
09:11, 2nd mov.
15:08, 3rd mov.
21:23, 4th mov.

http://www.youtube.com/watch?v=77H4RycrUik&feature=related

'The Beaver' Trailer





http://baupsicologico.blogspot.com/

http://www.atendanarocha.com/

Domenico Cimarosa






http://www.musikki.com/musikki.php?search=Cimarosa

sexta-feira, 7 de Outubro de 2011

jessie shaffer

http://soundcloud.com/jessie_shaffer

Albert Einstein tradução legenda português

Sociedade Civil, RTP 2_ Idosos e dependentes

José Afonso - A Cidade



A Cidade

A cidade é um chão de palavras pisadas
A palavra criança a palavra segredo.
A cidade é um céu de palavras paradas
A palavra distância e a palavra medo.

A cidade é um saco um pulmão que respira
Pela palavra água pela palavra brisa
A cidade é um poro um corpo que transpira
Pela palavra sangue pela palavra ira.

A cidade tem praças de palavras abertas
Como estátuas mandadas apear.
A cidade tem ruas de palavras desertas
Como jardins mandados arrancar.

A palavra sarcasmo é uma rosa rubra.
A palavra silêncio é uma rosa chá.
Não há céu de palavras que a cidade não cubra
Não há rua de sons que a palavra não corra
À procura da sombra de uma luz que não há.


Letra e Música: Ary dos Santos e José Afonso
Álbum: Contos Velhos Rumos Novos (1969)

José Afonso - Deus Te Salve, Rosa



Deus Te Salve, Rosa

Deus te salve, Rosa
Lindo Serafim
Tão linda pastora
Que fazes aí?

Que fazes aí,
No monte c'o gado?
Mas que quer, Senhor,
Nasci pr'a este fado.

No monte c'o gado,
Corre grande p'rigo
Quer a menina
Venir-se comigo?

Mas não quero, não, não,
Tão alto criado
De meias de seda
Sapato delgado.

Sapatos e meias
Tudo romperei
Por amor da menina
A vida darei.

Vá-se ó magano
Não me cause mais ódio
Que há-dem vir meus amos
Trazer-me o almoço.

Que venham os teus amos
Isso é o que eu gosto
Quero que eles vejam
Que eu falo com gosto.


Letra e Música: Música Popular de Trás-Os-Montes e José Afonso
Álbum: Contos Velhos Rumos Novos (1969)

José Afonso - No Vale de Fuenteovejuna



No Vale de Fuenteovejuna

No vale de Fuenteovejuna
Cabelos aos vento estava
Seguida pelo cavaleiro
O da cruz de Calatrava
Entre a ramada se esconde
De vergonhosa e turbada

Para que te escondes
Moça formosa?
Desejos são linces
Paredes removem

Para que te escondes
Moça formosa?
Desejos são linces
Paredes removem

Acercou-se o cavaleiro
E ela confusa e turbada
Gelosias quis fazer
Das ramas emaranhadas

Mas como quem tem amores
As montanhas e os mares
Atravessa facilmente
Disse-lhe estas palavras

Para que te escondes
Moça formosa?
Desejos são linces
Paredes removem

Para que te escondes
Moça formosa?
Desejos são linces
Paredes removem

No vale de Fuenteovejuna
Cabelos aos vento estava
Seguida pelo cavaleiro
O da cruz de Calatrava
Entre a ramada se esconde
De vergonhosa e turbada

Para que te escondes
Moça formosa?
Desejos são linces
Paredes removem

Para que te escondes
Moça formosa?
Desejos são linces
Paredes removem


Letra e Música: Lope de Vega (versão de Natália Correia) e José Afonso
Álbum: Contos Velhos Rumos Novos (1969)