sábado, 30 de outubro de 2010

Islândia



http://www.youtube.com/watch?v=8s7IfUdkVVw&feature=watch_response




Namíbia



http://www.youtube.com/watch?v=1uhmK5teT6U&feature=watch_response

Salto



Sigur Ros - Hoppipolla

Hoppípolla

Brosandi
Hendumst í hringi
Höldumst í hendur
Allur heimurinn óskýr
Nema þú stendur

Rennblautur
Allur rennvotur
Engin gúmmístígvél
Hlaupandi inn í okkur
Vill springa út úr skel

Vindurinn
Og útilykt af hárinu þínu
Eg lamdi eins fast og ég get
Með nefinu mínu

Hoppípolla
I engum stígvélum
Allur rennvotur (rennblautur)
I engum stígvélum

Og ég fæ blóðnasir
En ég stend alltaf upp
(Hopelandic)

Og ég fæ blóðnasir
Og ég stend alltaf upp
(Hopelandic) Jumpin' puddles

Smiling
Spinning 'round and 'round
Holding hands
The whole world a blur
But you are standing

Soaked
Completely drenched
No rubber boots
Running in us
Want to erupt from a shell

Wind in
Aand outdoor smell of your hair
I hit as fast as I could
With my nose

Hopping into puddles
Completely drenched
Soaked
With no boots on

And I get nosebleed
But I always get up
(Hopelandic)

And I get nosebleed
But I always get up


http://www.myspace.com/papaspromotions



Sigur Ros - Salto

Jumping

Sorrindo
Rodando em círculos
De mãos dadas
O mundo inteiro um borrão
A menos que você carrinho

Encharcado
Completamente encharcado
Encharcado
Correndo dentro de nós
Quer entrar em erupção a partir de um shell

Vento
E o cheiro do seu cabelo ao ar livre
Eu bater tão duro como eu posso
Com o meu nariz

Jumping
Eu não inicializa
Completamente encharcado (molhado)
Eu não inicializa

E eu fico nosebleed
Mas eu sempre me levanto
(Hopelandic)

E eu fico nosebleed
E eu sempre me levanto
(Hopelandic) poças Jumpin '

Sorrindo
round 'redondo e' Spinning
De mãos dadas
O mundo inteiro um borrão
Mas você está de pé

Encharcado
Completamente encharcado
Não Botas de borracha
Correndo em nós
Quer entrar em erupção a partir de um shell

Vento em
Ae clique no exterior do seu cabelo
Eu bati o mais rápido que pude
Com o meu nariz

Saltos em poças
Completamente encharcado
Encharcado
Sem as botas

E eu posso Creative Commons License
Mas eu sempre pode-se
(Hopelandic)

E eu posso Creative Commons License
Mas eu sempre pode-se


http://www.myspace.com/papaspromotions

Tudo bem por Sigur Rós




Lyrics;

I wanted to know
What I have done
I wanted to know
It's bad

I wanted to know
What I have done
I want to know
Right now

maybe this time tomorrow
or it may be today
It is now alright
Now it's better
Now we'll know
Now you'll know what I have done.

I'm Singin' with you
Singing in silence
Let's sing into the years, like one
Singing in tune, together
A sound for no one
Let's sing in tune, but now
It's home

Let's sing into the night now
Just sing on for me
Let's sing into the night, oh

(hopelandic)

You : oooooh ooh ooh ooh
You stand next to me alright

Lyrics from www.elyricsworld.com


Images mainly from Pixdaus

Eu queria saber
O que tenho feito
Eu queria saber
É ruim

Eu queria saber
O que tenho feito
Eu quero saber
Agora

Talvez essa hora amanhã
ou pode ser hoje
Agora é certo
Agora é melhor
Agora vamos saber
Agora você vai saber o que eu fiz.

Eu estou cantando com você
Canto em silêncio
Vamos cantar para o ano, como um
Cantando em sintonia, em conjunto
Um som para ninguém
Vamos cantar no tom, mas agora
É o lar

Vamos cantar para a noite agora
Basta cantar para mim
Vamos cantar na noite, oh

(Hopelandic)

Você: ooh ooh ooh oooooh
Você fica bem perto de mim

Letras de www.elyricsworld.com

Sigur Ros - Sorglega






http://www.youtube.com/watch?v=z8jmLec_wEc&feature=related





http://www.youtube.com/watch?v=ivkrgL3oeEE&feature=player_embedded#!



http://www.facebook.com/profile.php?id=100000399535108#!/video/video.php?v=1263198344660

‎"Siddhartha" de Hermann Hesse

‎"Siddhartha" de Hermann Hesse (Casa das Letras)
A vida do fundador do Budismo num texto de uma beleza sublime, onde se evidenciam os valores mais universais.
Estamos perante uma das mais belas obras deste autor germânico nascido em Wuttenberg em 1877 e laureado com o Prémio Nobel em 1946. "Um poema indiano" que exprime u...ma rara capacidade de descrever a beleza e, simultaneamente, de extraí-la de cada átomo do Universo.

É desta forma que descreve a trajectória de vida de Siddhartha, filho de um brâmane ( sacerdote e intelectual Hindú) que opta por abandonar o conforto da vida palaciana e a segurança de uma existência privilegiada, garantida pelo nascimento e explorar o mundo que o rodeia, com o objectivo de saciar a sua infinita sede de Conhecimento.

Submete-se, numa primeira fase, às privações características de um estilo de vida ascético, depois jogará o jogo do Samsara (o mundo das sensações) ao apaixonar-se pela belíssima cortesã Kamala, tendo, para tal, de sumeter-se às regras de um mundo onde impera a opulência e a volúpia. Mas para ele, as sensações são um mero veículo de aquisição de conhecimento.


Mas a serenidade do Nirvana só é conseguida por Siddhartha quando este é tocado por aquele tipo de amor absoluto e incondicional como aquele que um pai sente por um filho e sofrer por esse amor, igualando-se aos restantes mortais - o chamado "povo das crianças". Menos frio e mais empático, o brâmane aproxima-se das pessoas, interessa-se por elas diferenciando-se delas apenas num pormenor: a consciência.

Em Siddhartha a procura do verdadeiro "Eu" da Alma, do perfeito equilíbrio - a ambição de alcançar o Nirvana - está presente ao longo de todo o romance.

Siddhartha é uma história sublime cuja finalidade é mostrar que através do amor pela humanidade que se encontra verdadeiro Caminho para atingir a perfeição de um Buda (o ser perfeito contemporâneo de Siddharta que, segundo a tradição budista, não precisa de reencarnar).

Para Siddhartha, amar o Mundo é mais importante que explicá-lo. Daí defender que a liberdade nunca pode provir de uma doutrina seja ela qual for. Estas, no entender do protagonista, são apenas "palavras, sem dureza, moleza, arestas, cheiro, gosto"...Por isso, não se podem amar as palavras...Mas pode amar-se as pessoas.

Deste ponto de vista, as diferenças entre civilizações, religiões, culturas ou ideologias esbatem-se e aproximam os homens e facilitando a coexistência no Globo.

Uma utopia talvez tão velha como a Humanidade. Mas que vale sempre a pena perseguir. Que o digam Cristo e Ghandi.

Cláudia de Sousa Dias
via

http://www.hasempreumlivro.blogspot.com/

APRESENTAÇÃO

If people tell you they need
1) animation
2) pictures
3) colors
to make a good presentation slides

ask them think again.



http://www.slideshare.net/coolstuff/the-brand-gap?src=related_normal&rel=3782331

Marcas

“The Brand Gap”



Um vídeo que discursa sobre pensamentos do autor de “The Brand Gap”



http://www.youtube.com/watch?v=PUnU1pP_Rv8&feature=player_embedded#!

via
http://www.2dayconsultoria.com.br/2010/02/a-ponte-entre-a-estrategia-e-o-design/
>





http://www.youtube.com/play


http://www.nytimes.com/2010/09/26/arts/design/26segalot.html?_r=2&emc=eta1
A nova casa de Jeffrey Deitch, o empresário e galerista que se tornou director do Los Angeles Museum of Contemporary Art (MOCA), em Janeiro deste ano...



http://www.youtube.com/watch?v=ETb8M2Hig7g&feature=player_embedded#!

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Música

http://2.bp.blogspot.com/_plYFktVHLIA/RfyDwrmj2DI/AAAAAAAAAD0/GHhapaPzz1k/s1600/palek_8.bmp


http://www.terryriley.net/audio.htm


http://www.terryriley.net/


http://www.carlosalbertoaugusto.com/carlosalbertoaugusto.com/Fragmentos/Fragmentos.html


http://guidarte.blogspot.com/


http://twitter.com/MargaridaCosta_



http://twitter.com/Ideias_Soltas

Maria Rita e Ed Motta



Documentário 33, uma narrativa em primeira pessoa sobre sua busca por sua mãe biológica.





via
http://rumositaucultural.wordpress.com/2009/05/15/cinema-video-e-kiko-goifman/


http://www.rizoma.net/2010/09/


http://www.youtube.com/watch?v=awxSV8znPNM&feature=youtu.be





http://robertinhamusicando.blogspot.com/


http://twitter.com/RobertinhAmaral



http://blogs.amctv.com/mad-men/2010/10/favorite-quotes.php



www.amctv.com

Snow Patrol - Just Say Yes




Just Say Yes é um dos três inéditos incluídos neste duplo álbum, Up To Now, o primeiro best of dos Snow Patrol, a banda que há 14 anos começou a tocar na faculdade
via
http://ww1.rtp.pt/icmblogs/rtp/hotel-babilonia/

O teu riso



O teu riso

Tira-me o pão, se quiseres,
tira-me o ar, mas não
me tires o teu riso.

Não me tires a rosa,
a lança que desfolhas,
a água que de súbito
brota da tua alegria,
a repentina onda
de prata que em ti nasce.

A minha luta é dura e regresso
com os olhos cansados
às vezes por ver
que a terra não muda,
mas ao entrar teu riso
sobe ao céu a procurar-me
e abre-me todas
as portas da vida.

Meu amor, nos momentos
mais escuros solta
o teu riso e se de súbito
vires que o meu sangue mancha
as pedras da rua,
ri, porque o teu riso
será para as minhas mãos
como uma espada fresca.

À beira do mar, no outono,
teu riso deve erguer
sua cascata de espuma,
e na primavera, amor,
quero teu riso como
a flor que esperava,
a flor azul, a rosa
da minha pátria sonora.

Ri-te da noite,
do dia, da lua,
ri-te das ruas
tortas da ilha,
ri-te deste grosseiro
rapaz que te ama,
mas quando abro
os olhos e os fecho,
quando meus passos vão,
quando voltam meus passos,
nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.

Pablo Neruda


via
http://www.fabiorocha.com.br/neruda.htm

Mar sonoro



Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim
A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente e tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho,
Que momentos há em que eu sonho
Seres um milagre criado só para mim.


Sophia de Mello Breyner Andresen, in “Dia do Mar”

Há muito...



"Há muito que deixei aquela praia
De grandes areais e grandes vagas
Mas sou eu ainda quem na brisa respira
E é por mim que espera cintilando a maré vasa"

in, Há muito (Sophia de Mello Breyner Andresen)

Que está fazendo?


http://www.youtube.com/watch?v=fumXaNlU8co&feature=related

Verdi - La Traviata





VERDI







La Traviata - Verdi




La traviata, de Verdi












http://www.youtube.com/watch?v=nsRWP26F4ns


invitato a qui seguirmi, La traviata, de Verdi

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

VELHA GAITEIRA

Detachments - Holiday Romance



via
http://sound--vision.blogspot.com/



outras músicas
http://www.blackcabsessions.com/

parkour


As imagens de um cão ucraniano a praticar manobras dignas de um praticante de parkour está, esta semana, a fazer enorme sucesso na Internet.

O animal,ucraniano de nome Tre T e de raça Staffordshire Terrier, é visto a trepar a árvores, a saltar entre prédios, a escalar prédios, ultrapassar cercas e muito mais. Tudo como uma espetacular destreza.

Este vídeo não é novo, foi publicado no YouTube em Dezembro do ano passado, mas só no último fim de semana veio para a ribalta, quando o link foi partilhado no site Reddit."
via
http://aeiou.visao.pt/

Shaking Through: Reading Rainbow from Weathervane Music on Vimeo.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Zeitgeist






Zeitgeist - Part 1 of 12 / Legendado Português(BR) / FULL





Como o título diz que este é um trailer não oficial do Zeitgeist: Moving Forward que será lançado em janeiro de 2011.

Falas::
Richard Alpert (Richard Alpert (Ram Dass) sobre LSD)
Jacque Fresco (Entrevista com Larry King)

Música
- Summer Overture (Mozart)
- Zeitgeist Melody (by me, originally by Peter Joseph)

Imagens:
- Zeitgeist Addendum (2008)
- G20 Toronto (de usuários do YouTube)
- Zeitgeist - The Situation (youtube.com/hanspanzer)

SINOPSE: Zeitgeist: Moving Forward, do diretor Peter Joseph, é um documentário em longa metragem que vai propor uma necessária saída do paradigma monetário sócio-econômico que rege a sociedade em todo o mundo. Este assunto transcende as questões do relativismo cultural e da ideologia tradicional e chega ao âmago dos atributos empíricos da sobrevivência humana e social na terra, extrapolando as leis naturais imutáveis em um novo paradigma de sustentabilidade social chamada "Economia Baseada em Recursos".

Cultura



http://viajandopelomundodasculturas.blogspot.com/2009/06/hinduismo-e-seus-deuses.html

As crises, as grandes oportunidades



http://1.bp.blogspot.com/_lsskHZcBvG4/TMfYe07c82I/AAAAAAAAEa0/LgEFkD-myGQ/s1600/Bento+Domingues+As+crises,+as+grandes+oportunidades.jpg

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Recandidatura à Presidência da República

Aníbal Cavaco Silva oficializou esta terça-feira a recandidatura à Presidência da República com a promessa de contenção nos gastos da campanha. A partir do Centro Cultural de Belém, o mesmo local escolhido há cinco anos para se lançar na contenda pelo cargo, o Presidente apresentou-se como “um homem de trabalho”, capaz de “contribuir para que o país trilhe um caminho que permita vencer os desafios com que está confrontado”.

O tabu estava desfeito há quase duas semanas, depois de Marcelo Rebelo de Sousa ter desvendado, na TVI, a data e o local do anúncio da recandidatura do Presidente da República. Mas é partir de agora que Cavaco Silva é um adversário declarado de Manuel Alegre, Fernando Nobre, Francisco Lopes e Defensor de Moura no combate para as eleições de 23 de Janeiro do próximo ano. Há cinco anos e seis dias, no mesmo local e com as mesmas dez bandeiras por cenário, o antigo primeiro-ministro entrava na corrida a Belém por “um imperativo de consciência”. Desta feita, move-o “o dever”.

“Sei que posso ser útil a Portugal e aos portugueses. Move-me a consciência da gravidade dos problemas que todos temos pela frente”, afirmou o Chefe de Estado a partir do púlpito montado no Centro Cultural de Belém, em Lisboa. “Perante a situação extremamente difícil em que Portugal se encontra, perante as incertezas e até angústias sentidas por muitos portugueses, concluí que tinha o dever de me recandidatar à Presidência da República”, prosseguiu.

A decisão da recandidatura consuma-se “depois de uma profunda reflexão”, frisou Cavaco Silva nos primeiros instantes do discurso, perante uma assistência recheada de personalidades da sua ala social-democrata, como Manuela Ferreira Leite, ou Leonor Beleza. “Quis que a minha mulher, que sempre esteve a meu lado nos momentos importantes da minha vida, a partilhasse comigo. Havia razões pessoais e familiares a ter em conta. Mas havia também o meu sentido de responsabilidade e as ambições que tenho para Portugal”, atalhou.


Campanha sem cartazes

O candidato Cavaco Silva, que terá como director de campanha Luís Palha da Silva, ex-presidente executivo do grupo Jerónimo Martins, fez também questão de invocar a sua experiência, que, advogou, pode ser útil para “ajudar o país a encontrar um rumo de futuro e vencer as dificuldades com que está confrontado”.
Numa das passagens mais enfatizadas do discurso de recandidatura, prometeu ser “contido na campanha” para o escrutínio de 2011: “Não colocarei um único cartaz exterior, os chamados outdoor. Sei que isso me pode prejudicar face aos outros candidatos, mas não me sentiria bem com a minha consciência gastando centenas de milhares de euros com a afixação de cartazes”, sublinhou.

O actual enquadramento legal do financiamento dos partidos e das campanhas eleitorais fixa as despesas para as presidenciais em dez mil indexantes de apoios sociais, ou seja, 4,19 milhões de euros - à luz do valor do indexante em 2010 (419,22 euros). Numa segunda volta, os candidatos podem despender outros 2.500 indexantes. Cavaco Silva propõe-se gastar metade do valor estipulado pela lei, o que equivale a 2.096.100 euros.


http://tv2.rtp.pt/noticias/?t=Cavaco-na-corrida-a-Belem-com-promessa-de-poupanca.rtp&article=386690&visual=3&layout=10&tm=9

A mulher desconhecida

José Tolentino Mendonça

A mulher desconhecida

É muito bela esta mulher desconhecida
que me olha longamente
e repetidas vezes se interessa
pelo meu nome

eu não sei
mas nos curtos instantes de uma manhã
ela percorreu ásperas florestas
estações mais longas que as nossas
a imposição temível do que
desaparece

e se pergunta tantas vezes o meu nome
é porque no corpo que pensa
aquela luta arcaica, desmedida se cravou:
um esquecimento magnífico
repara a ferida irreparável
do doce amor

(in "A noite abre meus olhos/poesia reunida, Assírio & Alvim)

Desafio Verde

http://ww1.rtp.pt/blogs/programas/desafioverde/?k=1-parte-do-Desafio-Diario-de-2010-10-25.rtp&post=11942

Massimo Vignelli: A Short Documentary

Massimo Vignelli from John Madere on Vimeo.



via
http://blog.wanken.com/

Shakedown - Love-game-music video







http://www.behance.net/gallery/Shakedown-Love-game-musicvideo/735879?sms_ss=facebook&at_xt=4cc6f181f76f73f5%2C0

"when you get caught between the moon and New York City"


"when you get caught
between the moon and New York City"


segunda-feira, 25 de outubro de 2010

MÚSICA

http://mixpod.com/social/2010/10/rainy-day-playlist

"O filho mais velho é o casamento deles"



Crónica: Um segredo de um casamento feliz

Por Miguel Esteves Cardoso

"Desde que a Maria João e eu fizemos dez anos de casados que estou para escrever sobre o casamento. Depois caí na asneira de ler uns livros profissionais sobre o casamento e percebi que eu não percebo nada sobre o casamento.


Confesso que a minha ambição era a mais louca de todas: revelar os segredos de um casamento feliz. Tendo descoberto que são desaconselháveis os conselhos que ia dar, sou forçado a avisar que, quase de certeza, só funcionam no nosso casamento.

Mas vou dá-los à mesma, porque nunca se sabe e porque todos nós somos muito mais parecidos do que gostamos de pensar.

O casamento feliz não é nem um contrato nem uma relação. Relações temos nós com toda a gente. É uma criação. É criado por duas pessoas que se amam.

O nosso casamento é um filho. É um filho inteiramente dependente de nós. Se nós nos separarmos, ele morre. Mas não deixa de ser uma terceira entidade.

Quando esse filho é amado por ambos os casados - que cuidam dele como se cuida de um filho que vai crescendo -, o casamento é feliz. Não basta que os casados se amem um ao outro. Têm também de amar o casamento que criaram.

O nosso casamento é uma cultura secreta de hábitos, métodos e sistemas de comunicação. Todos foram criados do zero, a partir do material do eu e do tu originais.

Foram concordados, são desenvolvidos, são revistos, são alterados, esquecidos e discutidos. Mas um casamento feliz com dez anos, tal como um filho de dez anos, tem uma personalidade mais rica e mais bem sustentada, expressa e divertida do que um bebé com um ano de idade.


Eu só vivo desta maneira - que é o nosso casamento - vivendo com a Maria João, da maneira como estamos um com o outro, casados. Nada é exportável. Não há bocados do nosso casamento que eu possa levar comigo, caso ele acabe.

O casamento é um filho carente que dá mais prazer do que trabalho. Dá-se de comer ao bebé mas, felizmente, o organismo do bebé é que faz o trabalho dificílimo, embora automático, de converter essa comida em saúde e crescimento.

Também o casamento precisa de ser alimentado mas faz sozinho o aproveitamento do que lhe damos. Às vezes adoece e tem de ser tratado com cuidados especiais. Às vezes os casamentos têm de ir às urgências. Mas quanto mais crescem, menos emergências há e melhor sabemos lidar com elas.

Se calhar, os casais apaixonados que têm filhos também ganhariam em pensar no primeiro filho que têm como sendo o segundo. O filho mais velho é o casamento deles. É irmão mais velho do que nasce e ajuda a tratar dele. O bebé idealmente é amado e cuidado pela mãe, pelo pai e pelo casamento feliz dos pais.


Se o primeiro filho que nasce é considerado o primeiro, pode apagar o casamento ou substitui-lo. Os pais jovens - os homens e as mulheres - têm de tomar conta de ambos os filhos. Se a mãe está a tratar do filho em carne e osso, o pai, em vez de queixar-se da falta de atenção, deve tratar do mais velho: do casamento deles, mantendo-o romântico e atencioso.

Ao contrário dos outros filhos, o primeiro nunca sai de casa, está sempre lá. Vale a pena tratar dele. Em contrapartida, ao contrário dos outros filhos, desaparece para sempre com a maior das facilidades e as mais pequenas desatenções. O casamento feliz faz parte da família e faz bem a todos os que também fazem parte dela.

Os livros que li dão a ideia de que os casamentos felizes dão muito trabalho. Mas se dão muito trabalho como é que podem ser felizes? Os livros que li vêem o casamento como uma relação entre duas pessoas em que ambas transigem e transaccionam para continuarem juntas sem serem infelizes. Que grande chatice!

Quando vemos o trabalho que os filhos pequenos dão aos pais, parece-nos muito e mal pago, porque não estamos a receber nada em troca. Só vemos a despesa: o miúdo aos berros e a mãe aflita, a desfazer-se em mimos.


É a mesma coisa com os casamentos felizes. Os pais felizes reconhecem o trabalho que os filhos dão mas, regra geral, acham que vale a pena. Isto é, que ficaram a ganhar, por muito que tenham perdido. O que recebem do filho compensa o que lhe deram. E mais: também pensam que fizeram bem ao filho. Sacrificam-se mas sentem-se recompensados.Num casamento feliz, cada um pensa que tem mais a perder do que o outro, caso o casamento desapareça. Sente que, se isso acontecer, fica sem nada. É do amor. Só perdeu o casamento deles, que eles criaram, mas sente que perdeu tudo: ela, o casamento deles e ele próprio, por já não se reconhecer sozinho, por já não saber quem é - ou querer estar com essa pessoa que ele é.

Se o casamento for pensado e vivido como uma troca vantajosa - tu dás-me isto e eu dou-te aquilo e ambos ficamos melhores do que se estivéssemos sozinhos -, até pode ser feliz, mas não é um casamento de amor.

Quando se ama, não se consegue pensar assim. E agora vem a parte em que se percebe que estes conselhos de nada valem - porque quando se ama e se é amado, é fácil ser-se feliz. É uma sorte estar-se casado com a pessoa que se ama, mesmo que ela não nos ame.

Ouvir um casado feliz a falar dos segredos de um casamento feliz é como ouvir um bilionário a explicar como é que se deve tomar conta de uma frota de aviões particulares - quantos e quais se devem comprar e quais as garrafas que se deve ter no bar, para agradar aos convidados.

Dirijo-me então às únicas pessoas que poderão aproveitar os meus conselhos: homens apaixonados pelas mulheres com quem estão casados.

E às mulheres apaixonadas pelos homens com quem estão casadas? Não tenho nada a dizer. Até porque a minha mulher continua a ser um mistério para mim. É um mistério que adoro, mas constitui uma ignorância especulativa quase total.

Assim chego ao primeiro conselho: os homens são homens e as mulheres são mulheres. A mulher pode ser muito amiga, mas não é um gajo. O marido pode ser muito amigo, mas não é uma amiga.

Nos livros profissionais, dizem que a única grande diferença entre homens e mulheres é a maneira como "lidam com o conflito": os homens evitam mais do que as mulheres. Fogem. Recolhem-se, preferem ficar calados.


Por acaso é verdade. Os livros podem ser da treta mas os homens são mais fugidios.

Em vez de lutar contra isso, o marido deve ceder a essa cobardia e recolher-se sempre que a discussão der para o torto. Não pode ser é de repente. Tem de discutir (dizê-las e ouvi-las) um bocadinho antes de fugir.

Não pode é sair de casa ou ir ter com outra pessoa. Deve ficar sozinho, calado, a fumegar e a sofrer. Ele prende-se ali para não dizer coisas más.

As más coisas ditas não se podem desdizer. Ficam ditas. São inesquecíveis. Ou, pior ainda, de se repetirem tanto, banalizam-se. Perdem força e, com essa força, perde-se muito mais.

As zangas passam porque são substituídas pela saudade. No momento da zanga, a solidão protege-nos de nós mesmos e das nossas mulheres. Mas pouco - ou muito - depois, a saudade e a solidão tornam-se insuportáveis e zangamo-nos com a própria zanga. Dantes estávamos apenas magoados. Agora continuamos magoados mas também estamos um bocadinho arrependidos e esperamos que ela também esteja um bocadinho.

Nunca podemos esconder os nossos sentimentos mas podemos esconder-nos até poder mostrá-los com gentileza e mágoa que queira mimo e não proclamação.


Consiste este segredo em esperar que o nosso amor por ela nos puxe e nos conduza. A tempestade passa, fica o orgulho mas, mesmo com o orgulho, lá aparece a saudade e a vontade de estar com ela e, sobretudo, empurrador, o tamanho do amor que lhe temos comparado com as dimensões tacanhas daquela raivinha ou mágoa. Ou comparando o que ganhamos em permanecer ali sozinhos com o que perdemos por não estar com ela.

Mas não se pode condescender ou disfarçar. Para haver respeito, temos de nos fazer respeitar. Tem de ficar tudo dito, exprimido com o devido amuo de parte a parte, até se tornar na conversa abençoada acerca de quem é que gosta menos do outro.Há conflitos irresolúveis que chegam para ginasticar qualquer casal apaixonado sem ter de inventar outros. Assim como o primeiro dever do médico é não fazer mal ao doente, o primeiro cuidado de um casamento feliz é não inventar e acrescentar conflitos desnecessários.


No dia-a-dia, é preciso haver arenas designadas onde possamos marrar uns com os outros à vontade. No nosso caso, é a cozinha. Discutimos cada garfo, cada pitada de sal, cada lugar no frigorífico com desabrida selvajaria.

Carregamos a cozinha de significados substituídos - violentos mas saudáveis e, com um bocadinho de boa vontade, irreconhecíveis. Não sabemos o que representam as cores dos pratos nas discussões que desencadeiam. Alguma coisa má - competitiva, agressiva - há-de ser. Poderíamos saber, se nos déssemos ao trabalho, mas preferimos assim.

A cozinha está encarregada de representar os nossos conflitos profundos, permanentes e, se calhar, irresolúveis. Não interessa. Ela fornece-nos uma solução superficial e temporária - mas altamente satisfatória e renovável. Passando a porta da cozinha para irmos jantar, é como se o diabo tivesse ficado lá dentro.

Outro coliseu de carnificina autorizada, que mesmo os casais que não podem um com o outro têm prazer em frequentar, é o automóvel. Aí representamos, através da comodidade dos mapas e das estradas mesmo ali aos nossos pés, as nossas brigas primais acerca das nossas autonomias, direcções e autoridades para tomar decisões que nos afectam aos dois, blá blá blá.


Vendo bem, os casamentos felizes são muito mais dramáticos, violentos, divertidos e surpreendentes do que os infelizes. Nos casamentos infelizes é que pode haver, mantidas inteligentemente as distâncias, paz e sossego no lar."

A Serpente e a Pomba





Lisa Gerrard sings "The wind that shakes the barley" in japanese



http://www.youtube.com/watch?v=PEfruA7cCwk&feature=list_related&a=AYMcY2vx8GQzzU_izsnESMCnIwlQCxD5&list=ML&playnext=1


http://www.lisagerrardmusic.com/

O Caminho Pela Frente - Lisa Gerrard's

The Path ahead






http://www.deadcandancelibrary.com/23_Lisa_Gerrard_Newsletters.html

Lisa Gerrard



O Carnaval é excepcional



The Carnival is Over, Dead Can Dance http://www.deadcandance.com/

- Into the Labyrinth (1993)
Directed by Ondrej Rudavsky

Outside

The circus gathering
Moved silently along the rainswept boulevard.
The procession moved on the shouting is over
The fabulous freaks are leaving town.

They are driven by a strange desire
Unseen by the human eye.
The carinval is over.

We sat and watched
As the moon rose again
For the very first time.

Elis Regina - Milton Mascimento




Milton Mascimento canta Travessia em show acústico na Suíça, acompanhado por Wagner Tiso, 1980

Como um relógio de luz, eu pensei em alguém que você levanta.


domingo, 24 de outubro de 2010

Livre Arbítrio

Free Will

“Free Will” is a philosophical term of art for a particular sort of capacity of rational agents to choose a course of action from among various alternatives. Which sort is the free will sort is what all the fuss is about. (And what a fuss it has been: philosophers have debated this question for over two millenia, and just about every major philosopher has had something to say about it.) Most philosophers suppose that the concept of free will is very closely connected to the concept of moral responsibility. Acting with free will, on such views, is just to satisfy the metaphysical requirement on being responsible for one's action. (Clearly, there will also be epistemic conditions on responsibility as well, such as being aware—or failing that, being culpably unaware—of relevant alternatives to one's action and of the alternatives' moral significance.) But the significance of free will is not exhausted by its connection to moral responsibility. Free will also appears to be a condition on desert for one's accomplishments (why sustained effort and creative work are praiseworthy); on the autonomy and dignity of persons; and on the value we accord to love and friendship. (See Kane 1996, 81ff. and Clarke 2003, Ch.1.)

Philosophers who distinguish freedom of action and freedom of will do so because our success in carrying out our ends depends in part on factors wholly beyond our control. Furthermore, there are always external constraints on the range of options we can meaningfully try to undertake. As the presence or absence of these conditions and constraints are not (usually) our responsibility, it is plausible that the central loci of our responsibility are our choices, or “willings.”

I have implied that free willings are but a subset of willings, at least as a conceptual matter. But not every philosopher accepts this. René Descartes, for example, identifies the faculty of will with freedom of choice, “the ability to do or not do something” (Meditation IV), and even goes so far as to declare that “the will is by its nature so free that it can never be constrained” (Passions of the Soul, I, art. 41). In taking this strong polar position on the nature of will, Descartes is reflecting a tradition running through certain late Scholastics (most prominently, Suarez) back to John Duns Scotus.

The majority view, however, is that we can readily conceive willings that are not free. Indeed, much of the debate about free will centers around whether we human beings have it, yet virtually no one doubts that we will to do this and that. The main perceived threats to our freedom of will are various alleged determinisms: physical/causal; psychological; biological; theological. For each variety of determinism, there are philosophers who (i) deny its reality, either because of the existence of free will or on independent grounds; (ii) accept its reality but argue for its compatibility with free will; or (iii) accept its reality and deny its compatibility with free will. (See the entries on compatibilism; causal determinism; fatalism; arguments for incompatibilism; and divine foreknowedge and free will.) There are also a few who say the truth of any variety of determinism is irrelevant because free will is simply impossible.

If there is such a thing as free will, it has many dimensions. In what follows, I will sketch the freedom-conferring characteristics that have attracted most of the attention. The reader is warned, however, that while many philosophers emphasize a single such characteristic, perhaps in response to the views of their immediate audience, it is probable that most would recognize the significance of many of the other features discussed here.

"Livre Arbítrio" é um termo filosófico da arte para um tipo específico de capacidade dos agentes racionais para escolher um curso de ação entre várias alternativas. Que tipo é o livre arbítrio de classificação é que todo o alarido é sobre. (E que confusão tem sido: os filósofos têm debatido esta questão por mais de dois milênios, e apenas sobre cada grande filósofo teve algo a dizer sobre isso.) A maioria dos filósofos supor que o conceito de livre-arbítrio está intimamente ligado ao conceito da responsabilidade moral. Agindo com vontade livre, em tais opiniões, é apenas para satisfazer a exigência metafísica de ser responsável por sua ação. (Obviamente, haverá também condições epistêmicas sobre a responsabilidade, bem como estar consciente ou não que, sendo culposa inconscientes de alternativas relevantes para a sua ação e do significado de alternativas moral.) Mas o significado do livre-arbítrio não é exaurido por sua conexão com a responsabilidade moral. O livre-arbítrio também parece ser uma condição ao deserto por um de realizações (por esforço sustentado e trabalho criativo é louvável), sobre a autonomia ea dignidade das pessoas e sobre o valor que damos a ao amor e à amizade. (Veja Kane 1996, 81ff. Clarke e 2003, cap.1).

Os filósofos que distinguir a liberdade de ação e da liberdade de vontade fazê-lo porque o nosso sucesso na realização de nossos objetivos depende em parte de fatores totalmente fora do nosso controle. Além disso, sempre há restrições externas sobre a gama de opções que podemos significativamente tentar empreender. Como a presença ou ausência dessas condições e restrições não são (normalmente) a nossa responsabilidade, é plausível que os locos central da nossa responsabilidade, são nossas escolhas, ou "anseios".

Eu tenho implícito que anseios livre, mas são um subconjunto dos anseios, pelo menos como uma questão conceitual. Mas nem todo filósofo aceita isso. René Descartes, por exemplo, identifica a faculdade da vontade, com liberdade de escolha, "a capacidade de fazer ou não fazer alguma coisa" (Meditação IV), e vai ainda mais longe ao declarar que "a vontade é, por natureza tão livre que ele nunca pode ser restrita "(Paixões da Alma, I, art. 41). Ao tomar esta posição forte polar sobre a natureza da vontade, Descartes está refletindo uma tradição que atravessa certos escolásticos tardios (mais proeminente, Suarez) de volta para João Duns Scotus.

A visão da maioria, porém, é que podemos facilmente conceber anseios que não são livres. De fato, grande parte do debate sobre o livre arbítrio gira em torno de saber se os seres humanos têm, mas praticamente ninguém tem dúvidas de que vamos fazer isto e aquilo. As principais ameaças percebidas à nossa liberdade de vontade são vários determinismos alegado: físico-causal; psicológicos, biológicos; teológica. Para cada variedade de determinismo, há filósofos que (i) negar a sua realidade, quer devido à existência de livre vontade ou por motivos independentes, (ii) aceitar a sua realidade, mas defendem a sua compatibilidade com o livre-arbítrio, ou (iii) aceitar sua realidade e negar a sua compatibilidade com o livre-arbítrio. (Veja as entradas em compatibilismo; determinismo causal; fatalismo; argumentos para Incompatibilismo;. Foreknowedge e divina e livre arbítrio) Há também alguns que dizem que a verdade de qualquer variedade de determinismo é irrelevante porque o livre arbítrio é simplesmente impossível.

Se há uma coisa como livre arbítrio, tem muitas dimensões. No que se segue, vou esboçar as características que conferem liberdade que têm atraído mais a atenção. O leitor é advertido, porém, que, embora muitos filósofos enfatizam uma única característica como, talvez em resposta às opiniões de seu público imediato, é provável que a maioria iria reconhecer o significado de muitos dos outros recursos aqui discutidos.


via

http://plato.stanford.edu/entries/freewill/
Referências
http://www.didacticaeditora.pt/arte_de_pensar/leit_livrearbitrio.html


http://rolandoa.blogs.sapo.pt/76065.html

Trilhos do Lobo

http://4.bp.blogspot.com/_Xnh50jTTRWs/TL9RiT9aYmI/AAAAAAAACzA/f9lZtdLjeWo/s1600/photo-SZWt9goKCH4AACcY-s41%5B1%5D.jpg
via
http://ivaniadiamond.blogspot.com/





http://trilhosdolobo.blogspot.com/

"Pájaros en la Cabeza"

Corre con los pelos al viento
En un mar de destellos
Corre hasta quedarte
Casi sin aliento
Salta, con los brazos abiertos
Ya no toques el suelo
Y tu cuerpo remonta el vuelo
Hacia el cielo

Por primera vez sabes
Que esto no es un sueño
Ahora estamos despiertos
Este es nuestro momento

Salta aunque nadie te comprenda
Por encima de cabezas huecas
Salta como un gato
Tú no eres un pájaro enjaulado

Nadie sabe nuestro secreto
nadie quiere saberlo
Ellos viven con los zapatos
En el suelo
Salta con los brazos abiertos
Con los pelos al viento
Este es nuestro momento!

Amaral, do álbum "Pájaros en la Cabeza"




Corra com os cabelos ao vento


Em um mar de flashes
Corrida para ficar
Sem fôlego
Salta, com os braços abertos
E não tocam o chão
E seu corpo toma o vôo
Em direção ao céu

Pela primeira vez, você sabe
Que este não é um sonho
Agora estamos despertos
Este é o nosso momento

Salta se ninguém te entende?
Acima airheads
Salta como um gato
Você não é um pássaro engaiolado

Ninguém sabe o nosso segredo
ninguém quer saber
Eles vivem com sapatos
No chão
Salta com os braços abertos
Com os cabelos ao vento
Este é o nosso momento!

Amaral, do álbum "Pássaros na Cabeça"



"da máquina" (como dizem os nossos queridíssimos geeks de electrotecnia!) em que tinha o Insert seleccionado e só queria transformar uma frase a meio do documento; essa tarefa acabou por se revelar um autêntico pesadelo, uma vez que, conforme ía mudando o texto, o cursor ía "comendo" o resto do trabalho


http://ageometriadaspalavras.blogspot.com/


http://lovelyritocas.blogspot.com/

H2Onews é um servio de informao católica totalmente gratuito a televises católicas, sites web catlicos e rdios católicas.

H2Onews é um servio de informao católica totalmente gratuito a televises católicas, sites web catlicos e rdios católicas.

Mofli o Ultimo Koala Versão Portuguesa 1988



http://ffffound.com/home/geocolby/found/?offset=350&

http://ffffound.com/home/ivovaladares/post/
http://ffffound.com/

J.S. Bach: Kommst du nun, Jesu, von Himmel herunter (T. Koopman)



via
http://spedeus.blogspot.com/

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

RTP - INTERIORES

RTP - INTERIORES
Interiores é um programa de Maria João Avilez que procura entrar no "interior" (caseiro, pessoal...) de algumas figuras públicas da sociedade portuguesa. Assim são entrevistados em suas casas João de Deus Pinheiro, Herman José, Clara Pinto Correia, Jorge Sampaio, Agustina Bessa Luís, Mário Soares, João Seabra, Maria Barroso, Simoneta Luz Afonso, Alberto João Jardim, Luís Miguel Cintra, Zita Seabra, Fernando Lopes, Fernando Lopes, João Mariano Gago, Ferreira do Amaral, Pedro Burmester, etc. Uma série de 1993, realizada por Luís Filipe Pineza, João Paulo Valente e José Alves Fernandes.



O programa de hoje é dedicado a Mariana Rey Monteiro.



[…]



GÉNERO:Magazines
FICHA TÉCNICA:Realização: Luis Filipe Pineza/João Paulo Valente/José Alves Fernandes
Autoria: Maria João Avilez

Últimas Exibições:
RTP Memória2010-10-21 | 00:15h

Leituras

http://pandemoniumrealestate.com/

"Earworms"

"Earworms" são melodias cativantes que ficar preso dentro de nossas cabeças

Earworms poderia nos ajudar a entender os mecanismos mentais, psicólogos esperança
Os investigadores também trabalham na fórmula de prever se uma música tem potencial

earworm
Fórmula poderia ser usada para criar canções pop perfeitas - ou irritantes jingles comerciais


"Earworms" are catchy tunes which get stuck inside our heads
Earworms could help us understand mental mechanisms, psychologists hope
Researchers also working on formula predicting if a song has earworm potential
Formula could be used to create perfect pop songs -- or irritating commercial jingles
via
http://edition.cnn.com/2010/WORLD/europe/10/20/earworms.music/index.html

Não transformados carne melhor do que Carne Processada

Para os amantes de carne, isso pode ser uma boa ou uma má notícia para você. Comer carne processada - como salsichas, salame, carnes do almoço ou salsichas - aumenta o risco de doença cardíaca enquanto a carne vermelha parece não ser tão prejudicial. Um grupo de pesquisa na Universidade de Harvard descobriram que pessoas que cerca de 50g de carne processada diárias também aumentou o risco de diabetes, no entanto, aqueles que comeram a carne não transformados, tais como carne bovina, suína ou de carneiro não tinha riscos, mesmo que comeu o dobro da quantidade dos que comiam carne processada. Esta foi também apesar do fato de que ambos, processados e não processados de carne, têm um teor de gordura semelhante.

A pesquisa mostrou que a diferença pode estar na forma de sal e conservantes adicionados a carne processada. O sal aumenta a pressão sanguínea em algumas pessoas e também é um fator de risco para doença cardíaca. Em um estudo realizado em animais, foi observado que os conservantes nitrato, pode contribuir ainda mais para a aterosclerose e reduzir a tolerância à glicose, que pode levar a problemas cardíacos e diabetes. Carnes processadas contêm cerca de quatro vezes mais sódio e conservantes nitrato de 50 por cento mais.

Dariush Mozzafarian, professor assistente no departamento de epidemiologia da Harvard School of Public Health e co-autor do estudo, disse que o estudo também descobriu que a consequência de comer carnes processadas, é dramático: um risco 42 por cento mais elevado de doença cardíaca e quase um risco 20 por cento mais elevado de diabetes.

Victoria Taylor, um nutricionista superiores de saúde cardíaca da British Heart Foundation, disse: "Se você gosta de carne vermelha, isso ainda pode ser incluído como parte de uma dieta balanceada saudável para o coração. Ir para cortes magros e visam a cozinhar a partir do zero usando métodos de cozimento mais saudáveis como grelhar ou assar. Se você precisar adicionar o sabor, então tente usar ervas frescas e secas, especiarias e pimentas em vez de sal. "Renata Micha, da Harvard School of Public Health, líder do estudo, disse:" Baseado em nossos achados, comer uma porção por semana ou menos, estaria associada com um risco relativamente pequeno. "
via
http://www.sevensidedcube.net/processed-meat-better-than-unprocessed-meat/

Comer chocolates para reduzir o risco cardíaco

Comer chocolates para reduzir risco cardíaco

De acordo com um estudo recente ingerir pequenas doses de chocolate pode reduzir o risco de ataque cardíaco ou um foguista de 40% e 40% não é um número pequeno se observado. Foi constatado que as pessoas que comer 6 gramas de chocolate por dia ou cerca de um quadrado a partir de barras de chocolate tiveram um risco 39% menor de ataque cardíaco ou derrame.


A razão como os chocolates reduzir esse risco é porque ele tem Flavonols nele, que é encontrado em vegetais e vinho tinto e que ajudam os músculos em vasos sanguíneos e aumentar o nível de queda da pressão arterial também.
"É um pouco cedo para fazer recomendações que as pessoas devem comer mais chocolate, mas se as pessoas substituir o açúcar ou lanches ricos em gordura, com um pequeno pedaço de chocolate escuro, que podem ajudar", disse Brian Buijsse, epidemiologista nutricional no Instituto Alemão de Nutrição Humana em Nuthetal, Alemanha, principal autor do estudo.

Sabemos que comer muito de chocolate leva ao ganho de peso, que novamente é uma das razões para o ataque cardíaco e derrame. Os médicos também recomendam não comer chocolate todos os dias. "Esta não é uma receita para comer mais chocolate," disse o Dr. Robert Eckel, professor de medicina na Universidade do Colorado e ex-presidente da Associação Americana do Coração. Ele não estava relacionado com o estudo. "Se todos nós tivéssemos (uma pequena quantidade) de chocolate todos os dias pelo resto de nossas vidas, todos nós ganhar alguns quilos."

Portanto, temos que esperar até o resultado for confirmado por todos e apoiada por médicos antes de entrar em chocolates!
via
http://www.sevensidedcube.net/eat-chocolates-to-reduce-hear-risk/

Pistácios Bons Para o Coração

Pistácios Bons Para o Coração

Pistácios oferecem benefícios de saúde, tais como menores níveis de triglicérides e açúcar no sangue controlados. Eles têm ajudado tanto no controle de peso, como propriedades antioxidantes. Tudo isso contribui para ter um coração saudável. E as pessoas conscientes da saúde tendem a beneficiar mais de comer castanhas doces do que simples.

E a nova descoberta acrescenta que as nozes reduzem colesterol ruim (LDL) e diminuir o risco de doença cardiovascular. Joan Sabate da Loma Linda University School of Public Health escreveu o relatório que foi publicado na revista Archives of Internal Medicine.

Ele incluiu um estudo detalhado de diversas pesquisas de sete países, com 600 questões, 25 testes clínicos, e 583 homens e mulheres participantes com idades entre 19 a 86 anos de idade. Constatou-se que a ingestão de 67 gramas de nozes por dia reduzem o colesterol ruim (LDL) por 5 a 7 por cento e de triglicérides em 10,2 por cento.

Então dê seu coração um deleite e pegar um punhado de nozes como pistache - um lanche saudável, sem culpa.
via
http://www.sevensidedcube.net/pistachios-good-for-the-heart/

Nozes podem ajudar a reduzir o colesterol

Muitos já estão conscientes de que comer uma grande quantidade de nozes pode reduzir o colesterol, mas o que surpreende é que isso é especialmente verdadeiro para aqueles que são magros, têm hábitos alimentares pouco saudáveis, ou aqueles que têm o colesterol LDL "ruim" e triglicérides, de acordo com um estudo recente.

Nozes contêm muitas substâncias saudáveis, incluindo fibras e antioxidantes. Em 2003, de acordo com os EUA Food and Drug Administration, comendo mais de uma onça de nozes por dia também ajuda a prevenir doenças cardíacas.

Mas isso não é novidade, segundo o Dr. Joan Sabate da Loma Linda University ". Nozes fazer baixar o colesterol, por isso é bastante universal" Seu estudo recente, no qual 583 indivíduos foram estudados em mais de 25 países, mostrou que ao comer 2,4 gramas de nozes por dia reduziu os níveis de colesterol em 5 por cento (11 pontos), bem como redução dos níveis nocivos de LDL por dez pontos (ou 7 por cento). Esses benefícios foram observados em indivíduos normais, bem como níveis elevados de colesterol.

No entanto, o estudo mostrou que os indivíduos com níveis normais de triglicerídeos não apresentaram significativa afeta. Os níveis de triglicérides foram menores nos pacientes com níveis elevados.

Aqueles que testemunharam os melhores resultados foram aqueles com níveis extremamente elevados de LDL-colesterol, de menor massa corporal, e aqueles com "ocidental" dietas, de acordo com o estudo.

Mas isso não surpreendeu o Dr. Sabate, que acredita que aqueles que comem uma dieta mais do Mediterrâneo já tem os níveis de colesterol, devido ao consumo constante de azeite de oliva, grãos e peixes. Estes indivíduos veria um efeito muito pequeno quando acrescentar nozes à sua dieta.

"Comer 1-2 porções de nozes por dia benefícios a maioria das pessoas, melhorando o seu perfil lipídico", afirmou Dr. Sabate. "Por sua vez leva a um risco diminuído drasticamente ataque cardíaco."

Nuts Can Lower Cholesterol Levels…For Some

Many are already aware that eating a large quantity of nuts can lower your cholesterol, but what is surprising is that this is especially true for those who are thin, have unhealthy eating habits, or those who have “bad” LDL cholesterol and triglyceride, according to a recent study.

Nuts contain many healthy substances, including fibre and antioxidants. In 2003, according to the US Food and Drug Administration, eating over one ounce of nuts per day will also help prevent heart disease.

But this is nothing new, according to Dr. Joan Sabate of Loma Linda University: “nuts do lower cholesterol, so it’s pretty much universal.” Her recent study, in which 583 individuals were studied from over 25 nations, showed that by eating 2.4 ounces of nuts per day lowered cholesterol levels by 5 percent (11 points) as well as lowering harmful LDL levels by ten points (or 7 percent). These benefits were seen in individuals with normal as well as high cholesterol levels.

However, the study showed that those individuals with normal levels of triglyceride showed no significant affects. The levels of triglyceride were lower in those with high levels.

Those who witnessed the greatest results were those with extremely high levels of LDL cholesterol, lower body mass, and those with “Western” diets, according to the study.

But this did not surprise Dr. Sabate, who believes those who eat a more Mediterranean diet already have lower cholesterol levels due to the constant consumption of olive oil, grains, and fish. These individuals would see a very small affect when adding nuts to their diet.

“Eating one to two servings of nuts a day benefits most of the people by improving their lipid profile,” stated Dr. Sabate. “In turn this leads to a drastically decreased heart attack risk.”

viahttp://www.sevensidedcube.net/nuts-can-lower-cholesterol-levels%e2%80%a6for-some/

Gabriela

O Buraco

Time



Um homem encontra um relógio que vai mudar a sua vida.

"Time discovers truth"
Seneca


"O tempo descobre a verdade"
Seneca

"The time is always right to do what is right."
Martin luther King Jr.

“O tempo é sempre certo para fazer o que é certo."
Martin Luther King Jr.

"Lost time is never found again."
Benjamin Franklin

"O tempo perdido jamais será encontrado."
Benjamin Franklin

É muito difícil

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O animal de humor e fantasia



«Deus fez o homem à sua imagem e semelhança, e fez o crítico à semelhança do gato.»
Fialho de Almeida aceita o convite do editor Alcino Aranha para escrever um texto mensal de análise à vida portuguesa e, em Agosto de 1889, é publicado o primeiro panfleto. A reacção dos leitores é de tal modo positiva que depressa a publicação de Os Gatos passa de mensal a semanal. Até Janeiro de 1894, quando sai o derradeiro panfleto, reúne material que é depois publicado em seis volumes. Porquê este título – Os Gatos? Fialho explica-o no pórtico do primeiro panfleto: «Deus fez o homem à sua imagem e semelhança, e fez o crítico à semelhança do gato. Ao crítico deu ele, como ao gato, a graça ondulosa e o assopro, o ronrom e a garra, a língua espinhosa e a câlinerie. Fê-lo nervoso e ágil, reflectido e preguiçoso; artista até ao requinte, sarcasta até à tortura, e para os amigos bom rapaz, desconfiado para os indiferentes e terrível com agressores e adversários.» [...] Desde que o nosso tempo englobou os homens em três categorias de brutos, o burro, o cão e o gato – isto é, o animal de trabalho, o animal de ataque e o animal de humor e fantasia – porque não escolhermos nós o travesti do último? É o que se quadra mais ao nosso tipo, e aquele que melhor nos livrará da escravidão do asno, e das dentadas famintas do cachorro.»
via
http://www.vidaslusofonas.pt/

http://www.vidaslusofonas.pt/idade_contemporanea.htm

Salomão - parte 1 de 17


http://www.youtube.com/watch?v=3YgEvSninpo&feature=related


http://www.youtube.com/watch?v=9b9a_5j3FuE&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=1Zt3sIBD-Qk&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=E7JaOlgMYzg&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=KcoCgioHC7k&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=tvzvlN5nJU0&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=4qne8VaN820&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=QvFdcTuZHLA&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=YgYPKuVISw4&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=Mj-DwoEUu1w&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=SfvQC2dLBUc&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=Vh22k7KKits&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=MMYSXxQYh8A&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=DtAD2A1qDfA&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=pgBsdZgrfRA&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=nAiSNAH8DG4&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=2vaVqY_RFyw&feature=related


Título original: Solomon (Itália/ Alemanha/ França , 1997)
Título no Brasil: Salomão
Diretor: Roger Young
Gênero: Épico
Duração: 180 min. Cor
Distribuidora: Flashstar

Elenco:
Ben Cross
Anouk Aimée
Max Von Sydow
Vivica A. Fox
Maria Grazia Cucinotta
Umberto Orsini
Stefania Rocca
G. W. Bailey
David Suchet
David Dillane
Dexter Fletcher

Sinopse:
A vida do rei Salomão, desde quando seu pai Rei David está doente e a mãe Betsabá luta para que Salomão fique no trono, em vez do irmão Adonias. Mais tarde, o rei terá problemas quando se apaixona pela negra Rainha de Sabá.

AMOR



Lição de Vida: Ensaio sobre o Amor

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Terra, Mãos e Fogo

Terra, Mãos e Fogo
A fotografia ao serviço das obras de arte (II) - Cerâmica



Apresentação Conteúdos Ficha Técnica


Junto a minha mão à tua …

Há cerca de sete mil anos, talvez por acaso, algum homem observou a acção exercida pelo fogo em certo tipo de argilas, endurecendo-as permanentemente. O acaso só é útil a quem o merece, a quem possui a capacidade de ver um novo fenómeno e imaginar, criar algo de novo. Quer tenha sido para uso imediato de novos utensílios, pelo gosto do ornamento ou na representação mágica e religiosa, desde então criámos infinito número de formas e de cores, em todos os cantos do planeta onde vivemos. De então para cá, mergulhamos as mãos na terra, com as mãos a trabalhamos e moldamos, e pelo fogo damos a divina vida a tanto do nosso património e memória: a cerâmica

O desenvolvimento da tecnologia para a produção desta matéria-prima, talvez a primeira, deve certamente ter proporcionado aos seres humanos de então um enorme estímulo e confiança nas suas possibilidades de adaptação à realidade em que viviam. E tão fascinantes eram os objectos novos, contraditoriamente tão frágeis, sempre prontos a quebrar, e tão resistentes que até suportam o fogo que os ajudou a nascer. Ninguém podia então imaginar como seriam duradouros, e como constituem por vezes a única informação que chegou até aos nossos dias de algumas culturas, dos seus rituais, da sua arte e do seu quotidiano.

Que sente um fotógrafo quando entra numa sala e enfrenta uma multidão de "cacos", para fotografar o que se produziu numa época de evolução? Não sei o que outros sentem, mas creio que não deixarão de experimentar uma grande angústia e também uma grande responsabilidade. Angústia pelo turbilhão das perguntas: por onde começar, como se orienta esta forma ou o resta dela, como respeitar em luz e sombra a leitura artística e também documental de espécies, tanto mais difíceis quanto mais pequenas. Responsabilidade pelo dever que nos carrega o conhecimento de que muitas dessas peças nunca foram fotografadas e tão cedo não o serão outra vez, sendo que a imagem por nós produzida passará a ser a identidade visual que estará à consulta de todos. Sobra o prazer, que sempre chega de surpresa, na forma que se revela, na cor que vibra, e frequentemente na marca gravada dos teus dedos, amigo. Confesso, já cedi à tentação de por os meus dedos nos sulcos dos teus, juntar a minha mão à tua, no aperto sem tempo do amigo eterno.

O inventário fotográfico do património cultural é hoje uma tarefa obrigatória para cada cultura, essencial para a segurança, o estudo e a divulgação da nossa mais preciosa herança. Embora nada possa substituir a presença física desse património, com tudo o que tem para revelar, ensinar e emocionar as gerações vindouras, na verdade a maior parte da nossa formação e cultura artística visual depende das fotografias de obras de arte ao nosso dispor.

Desde a sua criação, em 1991, o Instituto dos Museus e da Conservação – I.P. tem feito um extraordinário esforço de inventariação fotográfica das colecções dos Museus nacionais, e tem colaborado com outras entidades que o solicitam. A sua Divisão de Documentação Fotográfica possui hoje um vasto espólio de centenas de milhares de imagens que estão ao dispor de todos e têm ajudado a divulgar e a afirmar a importância do património cultural português no mundo.

Esta exposição dedicada à cerâmica, integrada no projecto de cinco sobre a Fotografia ao serviço do Património (pedra, cerâmica, madeira, metais e têxteis), foi concebida por critérios fotográficos, procurando dar uma mostra da extensão no tempo e na diversidade das culturas representadas pela cerâmica nos museus portugueses. Certamente com lacunas enormes e escolhas discutíveis, procura só ser um contributo que estimule a descoberta por todos vós do infinito mundo que tem passado em frente dos meus olhos assombrados.


José Pessoa
via
http://www.matrizpix.imc-ip.pt/matrizpix/Exposicoes/ExposicoesConsultar01.aspx?IDEXP=5



http://www.matrizpix.imc-ip.pt/matrizpix/Exposicoes/ExposicoesListar.aspx


http://www.matrizpix.imc-ip.pt/matrizpix/Apresentacao.aspx


http://www.matrizpix.imc-ip.pt/matrizpix/

Conservação das memórias

EDIÇÃO 353 - SETEMBRO DE 2010

Condecorações Internacionais para o Presidente da Liga - Em cerimónia realizada na Academia Militar, no âmbito do Programa “Afonso Henriques” uma delegação de alto nível de Oficiais do Exército Brasileiro de visita a Portugal homenageou os militares do Brasil que há 65 anos se bateram na Europa durante a II GG integrados nas Forças Aliadas. Na ocasião o general do Exército Brasileiro Edmundo Silva agraciou o Tenente-General Joaquim Chito Rodrigues, Presidente da LC com a Medalha “Marechal Mascarenhas de Morais” comandante da FEB, distinção que lhe foi conferida por iniciativa da Associação de Veteranos da FEB, pelos extraordinários serviços prestados a favor da causa dos antigos Combatentes.

Conservação das memórias - A Liga não esquece - A Liga dos Combatentes deslocou o TCor Diogo a França, para avaliação das condições de manutenção do Cemitério Português de Richebourg, onde se encontram inumados Combatentes da I GG, (1914-18) bem como proceder à recolha de informações sobre a localização e condições de preservação das campas de Combatentes inumados em Boulogne-sur-Mer, Salomé e Schoonselhof (Antuérpia- Bélgica) , realizando ainda pesquisa sobre outros eventuais locais de inumação, que algumas fontes dizem existirem. Recorda-se que Portugal participou neste conflito com o “Corpo Expedicionário Português”, uma Força de mais de 55.000 homens.

Apoio à inclusão social na Liga dos Combatentes - Em Outubro de 2008, a Liga dos Combatentes (LC) implementou o Projecto “Cuidados de Saúde 2009-2012” que visa apoiar a população combatente a nível médico, psicológico e socialOapoio social desenvolve-se actualmente através do Centro de Apoio à Inclusão Social (CAIS) e visa essencialmente apoiar a nível psicossocial combatentes e famílias em situação de pobreza e em risco de exclusão social.

http://www.ligacombatentes.org.pt/revista_combatente/ano_2010


http://www.ligacombatentes.org.pt/upload/revista_combatente/353/movie.swf


http://www.ligacombatentes.org.pt/upload/noticias/2009/Icon/007.pdf